Contra a parede

Texto erótico | M18
Ela arrancou-lhe os botões da camisa, sofregamente… Ele puxou-lhe a saia como toda a força, na ânsia de não perder mais tempo e como se o mundo fosse acabar naquele momento, pegou nela ao colo e levou-a para a banheira. Precisavam arrefecer… Ou não!
Sedentos de paixão, perderam noção de tudo o resto… Contra a parede ela tornou-se a presa dele, deixando-se dominar por aquele corpo moreno e musculado que estava ali prontinho para a servir.
Seduzida por toda aquela entrega e cumplicidade, fechou os olhos…
E água quente a cair sobre eles era como uma chuva de desejos. Quentes, molhados e alucinantes… A vontade de se terem crescia a cada minuto que passava… Mas o tempo era um mero espectador daquele momento!
O vapor da água começa a criar um ambiente de mistério. Já pouco se vê e já nada se precisa ver. De olhos abertos ou fechados, já cada um sabe de cor aquilo que quer, onde quer e como quer…
E completamente rendida, ela entrega-se, sem pensar em mais nada. Os dedos dele exploram-na. Centímetro a centímetro. O calor da água, confunde-se com o calor da língua dele a deslizar por cada recanto mais escondido. O prazer já era demasiado visível na cara dela. E nos movimentos do corpo dela. E na respiração dela.
E ele abusa e procura mais e mais e mais…. Mas para. Sem palavras, olha-a nos olhos. Ela sabe o que aquele ar dominante e forte quer dizer. A festa só agora é que vai começar!
Ele vira-a de costas. Contra a parede. Os seios dela na parede fria e o corpo quente dele nas suas costas, é uma mistura demasiado perigosa.
Ele beija-lhe o pescoço e os ombros, faminto daquele corpo. Uma mão agarra-lhe o cabelo. Outra fica posicionada estrategicamente no corpo dela para lhe alimentar mais ainda o prazer.
Sem se olharem… Numa entrega desenfreada, por entre gemidos e respirações ofegantes… Deixam-se vencer… Primeiro ela… Depois ele… Porque às vezes faz parte ser assim…
Raio de Sol | #69Letras

Deixar uma resposta