A complexidade em mim

Ninguém diria mas sou tímida. Envergonhada.
Tenho os complexos todos que vocês possam imaginar mas também sei os disfarçar tão bem.
Dissimulo todos os meus complexos, vergonhas e mau estar com humor e uns dedos nervosos.
Mas à frente dele, todas as minhas tacticas dissimuladoras caiem por terra.
Não há como escapar aquele olhar pentrante de rasgar almas condenadas.
Ele nota tudo!
Se estou nervosa, se tenho vergonha, se me dói o estômago com tanta borboleta a voar lá dentro e até se tenho de ir à casa de banho fazer xixi!
Raios partam o homem!
Todo o humor do mundo não é o suficiente. E se me ponho a brincar com os dedos, ele lá arranja maneira de me ocupar as mãos… nas dele!
Por isso vou desistindo aos poucos. Vou-me revelando com toda a minha fragilidade.
Pouco a pouco vou-lhe mostrando todos os meus recantos obscuros.
Até me vou confessando os meus pecados.
Sei que não sou a mais bela das mulheres nem tenho o corpo digno duma capa de revista.
Escondo a menina assustada que sou atrás duma máscara de auto confiança descartável ao seu olhar.
Esta sou eu. E ele vai-me conhecendo palmo a palmo, todos os dias um pouco mais.
E se ainda não fugiu, porque raio tenho tanto complexo?

MissSteel#69letras

Deixar uma resposta