Quando queremos e não podemos tocar

Detesto amores proibidos, lutas infindáveis onde muita gente pode sair magoada e acabar sem nada. É frustrante mas a chama do desejo faz com que esse sentimento seja completamente ignorado.

Gostar de alguém que não é nosso e ao mesmo tempo não ser correspondido como desejaríamos é destruidor. Muitas vezes, contra a nossa vontade, temos que nos manter pelo olhar. Observar o que desejamos a ser partilhado com outra pessoa. Acordamos a pensar na pessoa, dormimos a sonhar com a pessoa e tudo é mais colorido. Podemos até ter algum contacto, alguma correspondência e ficamos logo acelerados, todos os problemas deixam de fazer sentido e o tempo pára. Mas sabemos instantes depois que nos devemos ficar pelo olhar. Nascem sentimentos de revolta, de lutas ingratas, e muitas vezes, em alguns casos, perdemos a noção do lógico e do correto. Incorremos a precipitações, atitudes espontâneas que nos fazem perder de vista o pouco que já tínhamos.

E por agora?

Por agora vou alimentando este desejo apenas com o olhar.

© 100 Modos #69Letras 2016

 


Deixar uma resposta