Purple

Como se não bastasse ainda ter o teu cheiro no meu corpo, o gosto do teu beijo na boca e tremer ao lembrar o teu toque, este nirvana prolongado que me causas trás memórias de todas as vezes que parámos o tempo…

Todas as vezes que vi esse sorriso só meu, que ouvi a gargalhada, que te vingaste do tempo que nos afastou matando a fome do meu corpo matando-me de prazer…

Guardo as imagens, as sensações, o gosto… Vou abrindo esta caixa para te lembrar, para te sentir… Nunca chegam os momentos partilhados, nunca chega a ser saciada a luxúria, nunca é demais, ainda não encontrámos o limite desta conexão e ela existe… Mesmo longe, estás perto, estás em mim, estamos juntos… Hum… Saboreio de novo o primeiro beijo com sabor a café, a parede onde tudo era calor, as cores que se confundiam com as luzes, o momento em que percebi que o encaixe era perfeito, que os nossos corpos foram desenhados para se encontrarem… Humedeço quando retorno ao momento em que me senti perdida e me encontrei no abraço que me envolveu e vi o olhar que me dizia que ainda não tinha acabado… Sorrio quando sinto de novo o roçar no meu pescoço e ouço a voz que ecoa os meus pensamentos… Descobertas constantes sem surpresas… Afinal, somos almas que se espelham e o que fazemos é só provar que os nossos desejos mais escabrosos são também eles iguais…

Estica-me as peles, os limites, o sorriso…

Paramos o tempo e corremos contra ele, encontramo-nos num plano que está além das milhas a que te encontras… É físico, é alma… São os ares do campo que se encontram no desaguar do rio… E agora mesmo sorrio… Porque te encontrei de novo nos meus pensamentos…

©VickyM #69letras

Deixar uma resposta