Não é prazer, é uma arte

Gosto de te desenhar com os olhos. Sinto um calor de excitação quando o faço. Não se trata apenas de prazer momentâneo. Faço-o porque me dá gozo. Quantas são as noites que te vejo a ser cobiçada por alcateias. Alcateias de seu nome. Em volta da presa desejada. Em volta de ti.

Muitas são as danças que tentam para te conquistar. Poucos são os que aguentam o tempo. E tu danças com eles. Uma dança de movimentos sedutores, sempre atenta, astuta, que adopta um olhar inofensivo mas sempre pronta a atacar. Com estilo, a seu tempo, eficaz e com poucos detalhes. Adoro observar estes lobos a tentar caçar o seu tesouro. Mal eles reparam que tu és a serpente. Tu melhor que ninguém já escolheste a tua presa muito antes de sequer eles pensarem nas suas tácticas. Sempre sedutora, sem ninguém dar conta no momento certo atacas. Um ataque singular, único, mortífero.
Adoro ver-te fazer estes jogos, o teu domínio, aquilo que só tu sabes fazer. Assim que espalhas o teu veneno as presas adormecem e fazes o que queres, quando queres, como queres sem qualquer medo, em busca de satisfazer as tuas vontades.

© 100 Modos #69Letras 2016

Deixar uma resposta