Meu Eu, Manoel (parte 4)

Texto M18. ????????

Ambos atingimos orgasmos selváticos, mas eu queria mais… deixei um Manoel ofegante no meu chão  e corri à minha caixinha de surpresas… fui directa ao que queria: um dildo e um strap…

Voltei à sala onde estava ele, ainda no chão mas agora de barriga para baixo, apoiado nos ombros como quem espera, como quem adivinha que ainda não acabou… Decidi mostrar, encenar… peguei no dildo, humedeci-o na boca e lentamente introduzi-o dentro de mim. Depois coloquei o strap on e deixei que o baby doll caísse sobre ele… aproximei-me dele e fiz sinal para que ficasse de joelhos e me chupasse, o que fez olhando-me nos olhos com ar de menino matreiro… o movimento dele fez escalar o meu desejo e precipitei-me a tirar aquela boca voraz do meu brinquedo. Segurei-o pela mão e fiz com que se levantasse, coloquei-o de quatro no sofá e fui preparar aquele rabo majestoso para me receber.

Quando o penetrei, ouvi os gemidos de prazer e investi com força… após algumas estocadas que fizeram com que o dildo dentro de mim se movesse e me deixasse à beira da loucura, agarrei o membro do Manoel e ele estava duro, pronto e a pedir para ser saciado… levei a mão dele lá e deixei que se tocasse enquanto lhe agarrava pelas ancas e o fazia meu… Sussurrei no ouvido dele “Gostas de ser tratado assim… como uma putinha, não é?”. Grunhiu e assentiu enquanto me enterrava ainda mais nele. Senti que estava perto, o seu sexo pulsava nas nossas mãos e então retirei-me dele. Coloquei-me eu de quatro ao seu lado e segurando o pescoço disse-lhe já quase em transe “Agora é a tua vez… fode-me!”

Quase num pulo, pôs-se atrás de mim, retirou-me o strap on e deteve-se a olhar para o meu sexo que escorria pelo dildo, que retirou vagarosamente aumentando a minha tortura.

Quase serviçal, acariciou-me as costas, as ancas e o interior das pernas para depois me penetrar de uma só vez… soltei um grito de prazer e quando me apertei e deixei que o seu sexo se acomodasse dentro do meu, ele agarrou-me e fodeu-me como um náufrago perdido há meses… deixou que gozasse e retirou-se de mim para se meter no meu rabo e investir até se saciar e deixar o seu mel à escorrer por mim… caiu no sofá e quando voltei a mim vinda do limbo do orgasmo, olhei para ele, que me disse, já todo ele “Também não desgostas, cabra!”

Rimo-nos a bom rir… e sabem que mais?

Que se lixe o handyman… mais coisas vão avariar cá por casa…

Fim…?

#VickyM

#69letras

Deixar uma resposta