E fizeram-te fugir

Passar simplesmente por ti não chega.

Sei que não te posso confrontar. Seria demasiado egoísta da minha parte. Mas todos os dias o ritual é o mesmo. Cruzamos os nossos olhares diariamente. Eu vejo-te. Bela como sempre, fantástica como nunca. Apenas uma pequena rua nos separa, uma grande angústia nos mantém afastados.

Embora este momento, por assim dizer, ser muito curto, insuficiente para sucumbir esta tortura, é aquele momento que anseio. O que me inquieta na cama, o que não me deixa dormir mais uns minutos. Parece uma força que me arranca da cama e me obriga a sair de casa mesmo sabendo que aqueles segundos são a minha felicidade e a minha tristeza.

Protegida pelo dono, impedida de respirar. Controlada e chantageada. Apesar dos seus passos serem felinos, nota-se o pesar, a solidão que acarta. Algo que me estremece e incomoda. Perfura repetidamente. Desejo é coisa que não esgota em mim de a arrancar daquele mundo. Não seriam precisas muitas palavras para ela perceber o que pretendia e atravessar na minha direcção. Talvez até nem fosse preciso nenhuma…

Infelizmente não posso. É impossível. Uma simples tentativa, um simples impulso, mandaria tudo por água abaixo. Tudo… O pouco que tinha neste caso. O meu maior medo, seria perder o escasso que tenho. Um dia com 24h, 7 dias por semana, 12 meses por ano… E eu só te tenho 1 a 2 minutos por dia, naquele percurso. Não posso estragar tudo por um espasmo descontrolado e destruir 3 mundos. O teu, o meu e o nosso…

Além da família que tenho, da vida que tenho, da mulher que me ama magnificamente… És tu quem eu quero. És a peça de puzzle que me falta neste quadro. Um quadro inacabado. A sensação de incompleto é persistente.

A ligação que temos é gigante, vivida em pouco tempo mas sentida em grandes momentos. Lembro-me que me recebeste nervosamente, invadi-te como se fosse fogo que queima desalmadamente, respondeste com uma ferocidade de um desejo louco. Foram tardes curtas, esquentadas de emoções entre toques que traçavam mapas, beijos húmidos e doces, abraços apertados e esmagadores como se algum de nós fosse fugir a qualquer momento.

E fizeram-te fugir…

Arrancaram-te da minha vida.

A sangue frio.

E eu de sangue quente, apaixonado, entregue.

Apenas fiquei a observar… Perdido…

Enfim, estou confinado a esta felicidade de 1 a 2 minutos. Onde o nosso mundo é vivido à distância. Onde continuarei a fazer este trajecto sozinho cobiçando este desejo de atravessar e de terminar este puzzle.

© 100 Modos #69Letras 2016

Deixar uma resposta