Bem me quer

Bem me quer…

Mal me quer…

Bem me quer…

Mal me quer…

Bem me quer…

Mal me quer…

Bem me quer…

E tu assim começou… Naquela primavera… Naquele campo de flores… Apenas dois jovens sem jeito… Que brincavam… De manhã até ao anoitecer… A ligação forte e intensa que os ligava… Era uma amizade sincera… Um dia… Num campo de flores… Um malmequer qualquer ficou sem as suas folhas… Aos dois saiu um bem me quer… E os dois exploraram o seu eu… Frente a frente… Olhos nos olhos… E o toque dos lábios… Aquele primeiro toque que os deixou corados… Que os deixou completamente sem jeito nenhum… Que lhes aqueceu a alma na pura inocência da sua juventude… A curiosidade das sensações provocaram a que tentassem novamente… Descontraíram… E beijaram-se novamente… Deixaram os músculos da face relaxar… E as línguas estranhamente se tocaram… E voltaram a corar… Que sensações entranhas aquelas… Parecia que falavam por um beijo… Aquela linguagem muito própria de quem nunca sentiu aqueles estranhos formigueiros… Aqueles arrepios bons na barriga… Tudo não fazia qualquer sentido… Embora a curiosidade os levasse a tentar uma vez mais… Não falaram… Apenas olhavam corados um para o outro… E relaxaram… E beijaram-se… Os lábios tocaram-se suavemente… Depois mais intensamente… As línguas falaram novamente… Havia borboletas a voar… Havia borboletas na barriga… As sensações da descoberta… Já não coraram mais… Os beijos tornaram-se numa descoberta irreal… As sensações que provocavam… Naquele campo de flores num dia primaveril…

 

NMauFeitio #69Letras

Deixar uma resposta