Ânsia

Esta espera, esta ânsia para estar contigo mata-me.
A semana não passa e os meus instintos selvagens vêm ao de cima. As coisas que me apetece fazer-te, vezes em conta. É um monstro que acorda em mim, sedento de prazer.

E quando esse dia chegar, quero-te comigo em quatro paredes, onde te vou encostar, despir-te, morder-te e fazer-te gemer.

Os beijos serão ardentes e a tua temperatura vai disparar. Não vais querer parar, vais querer mais e mais. Por breves momentos não te irei dar. Quero-te faminta, preparada. Quero que cedas, que fiques selvagem, quero que sejas dominadora e nessa altura deixamos o momento fluir.

A batalha começa e o erotismo espalha-se. Vamos chegar ao ponto em que já não serão os corpos a combater e sim as nossas mentes, já nem sabemos quem somos mas ambos em busca do mesmo.

Que esse dia chegue rápido.

© 100 Modos #69Letras 2016

Deixar uma resposta