Não esperes mel se és fel

O doce também azeda,
O amargo também se adocica,
Tudo depende do tempero que a nós lhes juntamos ou do ambiente onde o conservamos.
Se amor com amor se paga, o mesmo acontece com o doce e o amargo. Se é o que dás é o que recebes ou o que deverias de receber.
Não esperes mel se és fel, mas se és adocicado e não é esse o sabor que te é retribuído, tem cuidado, não te deixes ficar aí porque podes acabar por alterar o néctar que faz parte de ti. Às vezes não somos nós que estamos mal, aliás quem tem amor para dar e suavidade no sentir não pode estar mal, então não te deixes mudar por te deixares conspurcar por fruta já passada.
 
Pára, observa e sente.
Está junto de quem te é igual ou similar. Não deixes que o sorriso que abertamente dás bata de chapa numa cara fechada. Dizem que acabamos por ficar igual aos que nos rodeiam, não corras o risco de perder a naturalidade com que dizes Bom dia.
Cuidado, olha que se pega!
Não esperes uma palavra amável ou um gesto meigo se não é a mensagem que estás a passar. Tal como um espelho que nos devolve a nossa imagem, assim acontece com o que as outras pessoas nos reflectem.
 
Acção gera ação.
Não é ciência, é comum senso.
 
Por isso, não culpabilizes o outro, pára e analisa e põe-te em causa. Responsabiliza-te também e procura saber se não estás a passar a mensagem errada. J
A responsabilidade de algo deve ser repartida e não culpabilizada.
 

Vizinha #69Letras

Deixar uma resposta