Meu querido pai Natal…

E hoje é dia de cumprir mais uma tradição! Enfeitar a arvore de natal e escrever a minha celebre carta ao pai natal!
Quê?! Estão-se a rir? Pensam que é um ato infantil escrever cartinhas ao pai natal, é? Pois deixem-me que vos diga, que cá a Steel já faz isso desde miúda e sempre obteve resultados excelentes! Além disso, como esperam de receber o que tanto desejam senão deixam escrito algures num papel que acidentalmente vai parar aos bolsos certos, humm???
Vá agora leiam com atenção a minha cartinha que apesar de ser dirigida a alguém muito especial é aberta para todo o verdadeiro 69er ler!

Querido pai natal:
Mais um ano passou e eu continuo fiel ao que te prometi em troca de recompensas doces e boas tuas!
Nunca mais toquei nos chocolates que tanto me faziam mal, pelo menos com os dedos. E continuo a ser simpática, gentil e humilde para com todos aqueles com que me cruzo na rua. Senão acreditas em mim, perguntas ao porteiro cá do prédio que deixa sempre cair ao chão a correspondência cada vez que eu passo por ele. Mesmo sabendo que quase rasgo a saia ao dobrar-me e que ele pode muito bem apanhar, nunca deixo de apanhar. Só para veres o quanto sou simpática e gentil.
E a minha humildade é sempre testada pelos trabalhadores simpáticos das obras aqui da frente quando gritam o quanto eu sou boa. Nunca deixo de lhes agradecer a amabilidade e que com certeza haverá pessoas melhores do que eu. Quero mesmo acreditar que ainda há muita bondade no mundo.
Quanto ao copo de leite e bolachinhas feitas por mim na noite de natal que já te habituei, não te preocupes. Deixo no sitio do costume. À minha porta de casa no chão. Do lado de fora.
E o que desejo para mim este ano, muito simples! Prometo que não te vou pedir a mesma pulseira do ano passado nem os brincos a condizer. Se não me compraste o ano passado, suponho que este ano também não.
Por isso peço-te outro conjunto semelhante com o mesmo valor.
Também me veio agora à lembrança uma mala muito gira e que tanto me seria útil. Preciso mesmo daquela mala que vi na montra no outro dia. A cor dela realça-me os olhos! Daí a urgência!
Termino por dizer que não penses que a tarefa de me satisfazeres todos os meus desejos seja assim tão pesada! Lembra-te; Deus só te dá o fardo, que tu consegues aguentar!

Desta tua fiel amiguinha,

Miss Steel#69 letras

Deixar uma resposta