Manhã de limpeza

| M18 | Maiores 18 |

 

Foi de manhã, era sábado, se não me falha a memória, tínhamos ido lavar o carro, estava imundo, sei que foi puro disparate, começamos a brincar com a espuma, lançar espuma um ao outro, acabamos a brincar com a agua, a tua camisola molhada deixava transparecer a ausência do soutien, os mamilos completamente espetados na camisola, estavas toda encharcada, e acho que isso não resumia o teu verdadeiro estado, era bem mais que isso, muito mais.

Depois de tratar do carro, fomos para casa, e em vez de estacionarmos o carro ao sol, decidimos meter o carro na garagem, o estacionamento é tipo arrecadação, cada um tem uma arrecadação para arrumar o que entender, ou mesmo o carro, é aberto, bom, adiante, saímos do carro, foste há mala tirar os baldes e o material do carro, fui atrás de ti, ver-te com os calções molhados, foi mais ou menos o quanto bastou, abracei-te por trás e ataquei o teu pescoço, dei umas pequenas trincas, deslizei a língua e as minhas mãos abraçaram os teus peitos, e os dedos foram de imediato brincar com os teus mamilos, deu bem para sentir a tesão enorme deles, estavam quentes e rijos, os beijos e trincas no teu pescoço deram azo a pequenos suspiros, percebi de imediato a tua agonia, estava a provocar-te, e a ideia era mesmo essa, ali atrás do carro, te ajoelhaste e me despiste os calções ficando eu nu da cintura para baixo, com as mãos agarraste no meu sexo já de si teso, e massajaste, e massajaste fazendo-me soltar uns valentes gemidos de tesão, acabaste por fim por parar com as mãos e engoliste-me todo de uma assentada, que tesão doido que isso me provocou, sentir a tua quente no meu sexo em brasa.

Quando quiseste mais, não foste demorada em tirar os teus calções, ficamos ali mesmo, atrás do carro, apoiaste as mão na tampa da mala, e acolheste-me dentro de ti, deu para ficar ainda pior, a tesão aumentou, era perto da hora de almoço, muitos vizinhos poderiam por ali aparecer para tirar os carros, algo que não aconteceu, e nós que nem loucos esfomeados nos saciamos, a tesão era estupidamente louca, o prazer imenso, o calor que emanávamos era algo transcendente, o prazer e a tesão, de brandar ao céus a loucura. Lembro-me que não demoramos muito a atingirmos o orgasmo, ficamos um sob o outro.

Descansamos, recuperamos do orgasmo e vestimos a roupa, arrumamos as coisas e fomos para o elevador, lá dentro, sorrimos um para o outro, acho que os desejos ainda não estavam devidamente arrumados, descemos para uma cave mais abaixo, prendemos a porta do elevador com uma toalha, e tornamos a despir as roupas molhadas, pus uma pequena tolha no chão, deitei-me nela, sentaste em cima de mim, roçaste o teu corpo em mim, alguns beijos, muitas caricias, muitas provocações, e mais uma vez o risco de ser apanhado, continuamos, quando já ardíamos em desejo, fizeste-me entrar novamente todo em ti, profundamente, suspiramos loucamente, não havia nada a perder e tudo a ganhar, do lento ao frenético em puros instantes de prazer, a loucura foi completa, os movimentos de prazer foram tais que a cabine do elevador abanava com os nossos movimentos de prazer, os orgasmos, bom foram de tal forma violentos que não evitamos soltar uns tremendos gemidos dentro do elevador.

Novamente tornamos a vestir a roupa, saímos do elevador, e decidimos ir pelas escadas, quando chegamos ao nosso andar, um vizinho na porta nos pergunta se tínhamos ouvido uns gritos na escada, e nós na nossa mais pura inocência dissemos que não demos por nada.

 

NMauFeitio #69Letras

Deixar uma resposta