Ai sonhos…Ai amor… Ai vida… Ai expectativas… Ai descrença….

E escrevo, escrevo do coração para a mente e transcrevo, crente e descrente, nesta folha de papel…
Papel este, tão simples, mas que tornou-se tão próximo de mim, das minhas confissões…
E a cada palavra escrita de tinta azul, ponho o meu coração e solidão…
Incrível, que com uma caneta na mão, viajo longe até ti, meu amor…
A ti, que por vezes, apetece me desistir de encontrar, mesmo sem te conhecer…
Nem tão pouco sei se existes…
Sei sim, que o meu coração sonha contigo… Fecho os olhos e imagino te…
Não fisicamente, não poderia, mas sim, o amor que me poderás dar… E eu tão bem saberei receber, dar e viver…

Mas tenho medo! Sabes?!
Porque este meu pequeno, grande coração, está afundado em mágoa, em desilusão, tão descrente de sentimentos… Que receia um dia que chegues e queiras entrar no meu coração…
E aí… Ele esteja tão frio, tão gélido, tão apático, que te impeça e te afaste para sempre…

E se chegares… Faz me um favor… Por mais alta, que seja a muralha envolta do meu coração… Luta e não desistas de entrar nele!
Porque eu sou daquelas, que valem a pena AMAR!

Vany #69Letras

Deixar uma resposta