69 Minutos no Elevador (Parte 4)

| M18 | Maiores 18 |

100 Modos

As mãos dela iam subindo o meu corpo, estava gelada e aquilo deixava-me fora de mim. Por instantes cruzamos o olhar. Via através dos seus olhos e ela através dos meus. Inquietava-me o espírito, deixava-me a salivar. Só um pensamento me corria pela mente. Beijá-la.

Embora estivesse congelado por fora, tremia por dentro desalmadamente. Instintivamente a minha cabeça inclinou-se para a dela. Cada centímetro mais próximo mais notava o seu perfume, o seu calor, o seu nervosismo…

E o beijo deu-se. Senti um choque doce, molhado fazendo contraste com os lábios gelados e a boca quente, viciante e em perfeita sintonia… Não dava para manter o controle com aquele beijar. No inicio era um beijo calmo mas rapidamente ficou descontrolado. Como poderia existir esta química gigante com uma pessoa que não conhecia sequer? Nem pensava direito. A língua desta mulher incendiava-me  cada vez a cada segundo e a minha excitação fazia-se notar a olhos vistos.

Senti a sua mão a tocar-me por cima da roupa no meio das minhas pernas fazendo com que a parasse de beijar a empurrasse estatelando-a contra a parede do elevador. O estrondo foi enorme abafando o seu gemido de excitação. Ela sorriu fazendo um olhar atrevido e pedinte. Pedinte de prazer. Fui novamente de encontro à sua boca, desta vez beijando-a loucamente. Eu estava descontrolado.

Safoda a reunião, pensei.

Levantou uma das pernas mas segurei-lhe nas duas, ficando suspensa entre mim e a parede do elevador. A minha tesão era enorme que ela sentia mesmo através das nossas roupas. Ela estava a ficar louca, mordia-me os lábios e despia-me a camisa violentamente. Esta mulher… É claramente um diabo em ponto pequeno.

Miss Kitty

Estava completamente rendida àquele beijo, de tal forma que deixei de pensar, começo a tocá-lo, e à sua excitação evidente, por cima das calças, quando pára de me beijar e me estatela contra a parede do elevador, este voltou a estremecer mas já nem me importava, a vontade de tê-lo nos meus braços era superior a qualquer medo, e ali naquela maneira louca e urgente suspensa entre ele e a parede do elevador acabo de perder o resto da razão que ainda me mantinha lúcida.

Entre beijos sôfregos acompanhados de ligeiras mordidas, começo a despir-lhe a camisa violentamente, seguindo-se as calças e os boxers para o libertar do castigo e poder prová-lo e às primeiras gotas da sua excitação.

Enquanto o dispo também me tira o vestido que cai a meus pés e fica atónito quando perde o olhar no meu peito branco e perfeitamente desenhado, tal como tinha antecipado antes de me despir, tacteando as minhas ancas para me tirar as cuecas sem desviar o olhar por um segundo sequer.

Ficamos os dois nus, perdidos em carícias que rapidamente se tornam em movimentos possessivos carregados de tesão, voltando a estatelar-me contra a parede do elevador, num movimento rápido que nem sei como o fez e deixando-me exposta, coberta unicamente pelo seu corpo em mim. Não me lembro de alguma vez me ter sentido assim mas ele consegue despertar todos os meus demónios e deixar-me louca.

(Continua…)

© 100 Modos #69Letras 2016
© Miss Kitty #69Letras 2016

69 Minutos no Elevador (Parte 5)

 



Obtém 10% de desconto em todas as tuas encomendas! 69 novas formas de prazer!

Regista-te em www.aubaci/69letras

1 comentário a “69 Minutos no Elevador (Parte 4)”

Deixar uma resposta