Uma história muito pessoal – Partilhada por um leitor!

Gostava de partilhar connosco esta história de vida muito pessoal:

Até podia ser um conto mas não é.

É bem real e gostava de partilhar com todos para que mais ninguém, homem ou mulher, passe pelo mesmo.

Ela era um desejo (adormecido) antigo, daqueles que nós conhecemos e acreditamos que não vai passar dali. Mas passou ao fim de talvez pouco mais de 2 anos já eu na altura estava a viver na Inglaterra.

Ela mãe de dois filhos, sim isso foi algo que nunca me impediu de apaixonar por alguém, separada não fazia muito tempo. Achava que ela era o meu sonho, sentia-me completamente “in love”. Conversávamos todos os dias, primeiro para meter conversa em dia depois de longos meses sem um olá, depois para nos irmos “re”-conhecendo “again”.

Era bom, sentia- me bem, sentia-me feliz, tinha alguém que me perguntava – “Então como foi o teu dia?” – e isso era agradável, era ótimo. Sempre lhe confidenciei que queria voltar a Portugal, aliás nunca escondi isso de ninguém apesar de me sentir completamente integrado na sociedade inglesa, afinal não tinha la família.

E voltei a Portugal…

Hoje passado dois anos e 8 meses estou a partilhar com todos pela primeira vez esta história,

Eu devia ter desconfiado logo na primeira vez que lhe dei dinheiro mas estava já na teia, nunca entendi as coisas digamos assim. A primeira vez que implicou foi pelo aniversário dela logo no mês de Abril, pedi dinheiro emprestado porque se não eu não iria aos anos dela e eu queria ir.

Depois quando existiu os primeiros envolvimentos sexuais ela, não usamos o preservativo, supostamente ela engravidou, sim supostamente porque aí eu estava já totalmente controlado por ela mentalmente. “Decidimos” fazer um aborto que não correu, segundo ela como esperado por ela tinha umas feridas antigas de um aborto que fez quando era nova e voltou a abrir as feridas com este novo aborto. Treta eu hoje consigo reconhecer isso porque hoje pergunto-me porque é que ela nunca me mostrou exames e nunca a pude acompanhar às consultas.

O facto de ela ter “engravidado” foi uma bola de neve para me enrolar somente a mim próprio, fui mentiroso comigo mesmo, perdi amigos porque falhei a compromissos que assumi por ela, pedi dinheiro que nunca devia ter pedido, inventei histórias, cada dinheiro “ganho” era uma vitória para mim porque conseguia mais uns minutos com ela. E tudo isto por causa de uma “estória” que ela contava dia após dia somente para sustentar os vícios dela de saídas à noite, roupas novas e almoços e jantares fora.

Um dos meus melhores amigos dizia – Gonçalo acaba com isto. Ela está te a enganar. Deixa de ser parvo.- e eu respondia – Amigo eu sei que tens razão mas eu não consigo, desculpa-

Mas consegui e consegui sem me aperceber.

Depois de começar a conseguir aos pouco a ver a “estória” do lado de fora e analisar tudo de forma fria, em Fevereiro comprei um carro, barato, de 92 acho, era o que podia comprar na altura e o resto do dinheiro já imaginam para onde foi. Em Março comprei um sistema de som 5.1 para mim e nesse mês foi o mês que decidi por o ponto final nisto tudo.

Um ponto final que foi duro, custou-me muito mas hoje posso vos dizer que sou feliz sozinho, ganho o meu dinheiro para mim, deixei de ter dois empregos e de trabalhar 15h para lhe entregar tudo de mão beijada só para passar mais 5 minutos com ela.

Este verão achei que devia tirar férias sozinho, longe de tudo e todos sem conhecer ninguém e acho que foi o melhor que fiz, foi tipo o “grito do Ipiranga depois de dois anos infernais em que eu era “levado por burro” e sabia mas que não conseguia fazer nada por medo de a perder. Mas hoje meus amigos ela só faz parte do passado, só isso.

Nem tudo foi mau no tempo em que eu achava que tínhamos algo os dois, eu aprendi a ser mais tolerante, aprendi a respeitar mais o espaço de quem está connosco, aprendi a não ser uma pessoa fútil e a não dar importância a coisas pequenas, APRENDI A SER MAIS FELIZ AINDA SOZINHO.

Sabem eu vi-a nos Santos Popular e como bem educado que sou quis ir cumprimentá-la e saber como estava mas talvez ela não me tenha reconhecido e seguiu o seu caminho.

Partilho isto hoje convosco porque não quero que mais ninguém se deixa levar por uma história idêntica à minha.

Façam o favor de serem felizes.

O meu nome é Gonçalo Pinheiro e hoje sozinho eu SOU MAIS FELIZ.

https://www.youtube.com/watch?v=GxdAqDC9sHw

PARTILHEM AS VOSSAS HISTÓRIAS.

SEJA DE FORMA ANONIMA OU NÃO.

EXPRIME-TE!

blog@sessenta9letras.com

Deixar uma resposta