Tens limões?

Bolas! Nunca mais hei-de olhar para os limões da mesma maneira…

Quem és tu, que quase me conheces melhor do que eu, os meus medos e desejos, o eu real que raramente mostro.

Quem és tu que passas horas a falar comigo, com quem rio e choro, partilho a vida, o bom e o mau, à distância de uma rua, de uma página e de um ecrã, e me faz questionar como serás e que mistérios esconderás, como será a tua voz, o cheiro, a pele, como será que me sentes.

Será que sabes o quanto me seduzes e cativas com as tuas palavras, quem em tom de brincadeira vais proferindo, e como me consegues provocar, despertar sentidos que à muito estavam adormecidos.

Um dia perdi a vergonha, sei onde moras e que estás em casa. Tenho que te conhecer, visto qualquer coisa sem me preocupar com pormenores e vou-te pedir limões, só por ser uma piada tão nossa,  e sem tu fazeres a menor ideia bato-te à porta.

Adorei ver a tua cara de espanto quando abriste e te perdeste nos meus olhos, fixamente, sem reacção. Passados uns segundos conseguimos desencantar-nos um do outro e ainda te consigo dizer com um sorriso malicioso que precisava de limões, mas tu prontamente me calas com um beijo, daqueles beijos que não se consegue resistir de tão intenso que é, em que não precisamos de dizer nada, as Almas falam por nós quando nos entrelaçamos num abraço exploratório, sentido e carregado de desejo ao qual cedemos.

Não estás sozinho, levas-me para o teu quarto e trancas a porta, lentamente baixas-me as alças do vestido que enfiei à pressa e descobres o meu corpo semi-nu onde te perdes em carícias e beijos, com uma química inexplicável em que nos entregamos e perdemos em pormenores, até nos possuirmos por completo, entre gemidos abafados o que nos deixa exaustos, tamanha é a intensidade do sentido.

Por momentos passa-me pela cabeça “Nunca os limões foram tão doces…”

Miss Kitty #69Letras

Deixar uma resposta