Sem sono…

Conto Erótico | Texto M18

Sim é verdade que o verão está a acabar mas deixou réstia de calor dentro deste corpo já de si quente… Ainda custa adormecer quando o corpo pede uma brisa que ajude a baixar a temperatura…

Foda-se… não consigo dormir… levanto-me e vou buscar um copo de vinho acendo a luz de leitura e deito-me nua de copo na mão e um livro na outra… A sério? Os contos da princesa Sherazade?!?! Bem, que se lixe, uns parágrafos e o cansaço leva a melhor…

Cinco capítulos depois, o sono não chega e já estou no segundo copo… o telefone vibra ao meu lado… normalmente não ligo mas algo me leva a desviar o olhar. Era uma mensagem bastante sugestiva “Diz-me que estás com insónias como eu…” oh, será que tem um dedo que adivinha?!! Já conheço alguns talentos daqueles dedos e mãos, mas da adivinhação? Respondo “Eu bem que tento chamar o sono, mas nada…” “Aposto que estás a ler no teu quarto à meia luz…”

Pronto… Agora fiquei com a pulga atrás da orelha… ligo… “Não me conheces assim tão bem…” “Tens razão… estou estacionado a observar a tua janela…” Era o Xanax que precisava… “Sobe, sabes o teu caminho… Acompanhas-me num copo de vinho?” “Bebo do teu…ou de ti…”

Ele subiu e não me lembrei mais do raio do vinho… Recebi-o exactamente como estava,nua… Passei rapidamente do boa noite para um beijo e levei-o para o quarto.

Sem muitas palavras ou cerimónia, comecei a beijar aquele pescoço enquanto desapertava a camisa, passei a mão pela barba só por si desconcertante e desci. Calças fora e tal como esperava ele já estava pronto para ser abocanhando. Ele soltou um gemido gutural quando o coloquei bem fundo na garganta e continuei a brincadeira até sentir que estava quase a explodir… a cara de surpresa dele ao abrir os olhos e ver os meus já cheios de luxúria levaram-no a agir como um gentleman. Segurou-me pelas ancas e depositou o meu corpo na cama entre beijos e desceu para se deliciar com o meu sexo bebendo cada gota da minha excitação e deixando-me pronta para receber aquele pau duro delicioso e latejante. Puxei aquele corpo quase venerando cada centímetro daquela pele que me enlouquece e deixei que ele me penetrasse devagar deixando-me sentir a tesão dele… olhou-me nos olhos e foi fundo, aumentando a intensidade e a força das estocadas tomando proveito do nosso encaixe perfeito. Interrompi aquela dança para me pôr de quatro e oferecer a visão que sei que ele adora convidando-o a entrar outra vez ao que ele assente desta vez sem reservas… Aí que aquele homem sabe o que faz! As mãos enterradas no meu rabo, todo dentro de mim no ângulo certo e sinto aquela mão esperta a dirigir-se ao meu clitóris e a massajar-me intensamente em sintonia com o ritmo daquela foda sempre saborosa… venho-me num orgasmo explosivo e audível… O meu companheiro desfruta do meu orgasmo sem parar e assim que me sente acalmar,retira-se de mim, vira-me e de caralho na mão faz-me chupar outra vez enquanto leva a minha mão ao meu sexo outra vez para que me masrurbe enquanto o faço chegar ao clímax que chega em jacto na minha boca e me faz vir outra vez… Satisfeitos e suados, refastelamo-nos na cama… Adormeço em menos de nada e quando acordei… Ele não estava… Pensei que tinha sonhado até olhar melhor e ver a rosa e o bilhete… “Volto sempre que estiveres sem sono…”

©VickyM #69letras

Deixar uma resposta