“…rasga-me no peito a saudade do teu olhar…”

Mais uma noite fria e chuvosa…
O facto é que começo a gostar delas….
O escuro e vazio têm sido companheiros nestas noites…
Todos nós sonhamos em um dia sermos um David…
Para derrotar o gigante da melancolia que por vezes nos assola…
Trucidarmos todos os demónios interiores que teimam em gritar e esquartejar-nos a alma…
E são tantos…ocultos…ou que nos acenam em tom jocoso…
Chácaras marcadas em locais tão nossos mas que não nos pertencem…
E nesta noite escura, fria e vazia…
A Lua insiste em observar-me…
Aquela mesma Lua que um dia viu como choravas pelo pecado que ansiavas…
E da mesma forma, rasga-me no peito a saudade do teu olhar…do teu toque…
Hoje despojo-me de valentia e ajoelho-me perante esta luz de luar…perante ti…
O voto que lhe faço…já tu sabes qual é…
E amanhã…Oh amanhã…
Amanhã voltarei a olhar para esta Lua…minha, tua…de todos…
E voltarei a jurar!
Aquilo que com sangue uma noite igual a esta jurámos…

7thSin✟ 69 Letras® 18.10.2016

Deixar uma resposta