Não quererei parar!

| M18  | Maiores 18 |

Não quero ter modos quando estiver contigo!

Seja numa sala ou num quarto. Com portas abertas ou fechadas. Vestidos ou nus. Cansados ou frescos. Não quero saber, não quero ter modos para te sentir. Quero beijar-te, sentir o aroma doce e inigualável. Passar as mãos no teu corpo, sentir o teu respirar no meu. Aqui, neste chão, neste sofá, nesta cama, nestas paredes vamos ser anjos e demónios, santos e pecadores, feras e presas, fogo e água. Quero confessar-me no meio das tuas pernas, quero que cavalgues em mim.

Quero puxar-te o cabelo, que me mordas. Quero puxar-te, empurrar-te repetidamente, quero sentir a tua boca em mim. Vamos fazer o tempo parar porque nada nos fará parar.

Vamos incendiar os nossos corpos, congelar os nossos medos. Vou possuir-te de tal forma que os demónios fiquem com inveja. Quero que explodas de prazer de forma orgásmica. Quero que me apertes como se o mundo terminasse hoje, quero que me faças vir na tua boca, que me renda ao momento, que olhes para mim enquanto o fazes, que gozes do momento e que sejas gulosa.

Deixarei marcas no teu corpo, marcas da nossa guerra, deste canibalismo, desta sede de carne. Mordidas e arranhões. Ficarás dorida, doridamente bem, satisfeita, saciada.

E eu deitar-me-ei ao teu lado, fazendo tempo para repetirmos.

Temos tempo, porque o tempo está parado. E eu não quererei parar.

© 100 Modos #69Letras 2016

Deixar uma resposta