Moro em ti…

É no teu corpo cansado que procuro conforto, amaro em ti como se fosses o meu porto, busco a réstia de Luz que de ti emana, essa força que brota que é quase inumana, que sem querer de ti exorto, numa busca incessante do querer viver, de em ti pernoitar e querer amanhecer.

Nos despojos da vida que os nossos corpos se tornaram, encontram um no outro o que sempre procuraram, um amor doce sem condições nem julgamentos, de passados doídos, intensamente vividos, que tanto nos marcaram e deixaram feridos, e conseguimos esquecer nos nossos momentos, desvanecem-se no tempo e nos sentimentos.

E é nesses momentos tão doces, que te acolho em mim como se mel fosses, bebo o néctar da tua essência, como se vício fosse ou pura dependência, bebida que me desperta e aviva os sentidos, já há muito a ti rendidos, que me seduz e inebria, e o meu corpo transforma em pura poesia.

No teu regaço invado o teu espaço, acolhes-me sem perguntas rendida ao cansaço, serenas-me a Alma em alvoroço, transformas em pintura um mero esboço, com cores vivas de cheiro intenso, aromas esses que já não dispenso, que na memória teimam em se instalar, por me dares o prazer de em ti poder morar.

Miss Kitty #69Letras

Deixar uma resposta