Corres-me nas veias…

Corres-me nas veias, como a nascente corre para o rio, nestas noites de estio, em que sem me tocar me tacteias, e me assoberbas de ideias, intensas e envolventes, de desejos tão urgentes, da carne que ao toque queima, devido ao tanto querer que em mim teima, dos teus toques tão ausentes.

Da minha pele és cada poro, que sinto arrepiar, com a força desse tocar, esse que eu adoro, e tantas vezes por ele imploro, não fosse toda a distância, que o destino por petulância, fez com que existisse, e o teu toque nunca sentisse, parecendo que é por maldade, deixar-nos nesta ansiedade.

Sinto o calor do teu beijo, de gosto adocicado, apesar de nunca dado, embora tão almejado, atiça-me todo o desejo, desse corpo que ensejo, o que trago em mim entranhado, em traços doces tatuado, um beijo que ainda há-de ser dado, pois pelas Almas há muito que foi trocado.

E é com este intenso sentir, que aguardo o que está para vir, na esperança que nunca morre, de um dia ter o que nas veias me corre, de corpo, Alma e sentir.

© Miss Kitty 2016 #69Letras

Deixar uma resposta