Beija-me

Vêm beija-me outra vez,
Tira-me desta dormência em que me encontro desde a última vez que nos tocámos,
em que a nossa pele ferveu entre as chamas da devassidão,
que os uivos de lobo e loba no cio encheram as paredes do quarto,
em que o nosso odor carregado de feromonas poluiu o ar,
contaminando a nossa carne nua, exposta à luxúria numa voracidade incontrolável,
um duelo de vontades sem vencedor à vista a não ser o prazer,
esse glorificado e eterno medalhado,
Vêm sufoca-me no ardor dos teus lábios onde respiro o ar que me dás, fonte de vida, mata-me a sede da alma que me acelera a pulsação e reinicia este relógio dormente , aqui à espera do teu beijo.
Vêm….
Bastardo #69Letras

Deixar uma resposta