Tempo…

Tenho um acumular de horas nos meus braços, estes que se rendem a cansaços, ao tempo veloz a passar, numa fome incessante de abraços, sentir de outra pele o calor, deixar este apático torpor, reunir todos os meus estilhaços, peças de um puzzle interminado, que é este meu corpo tão cansado.

Sinto o tempo esvair-se pelas veias, a passar pelos dedos como areias, de uma vida que se tornou deserta, com um oásis em parte incerta, que me irá fazer florescer, matar a sede de viver, o meu corpo inundar e a fome alimentar, a paz em mim morar, e tranquila poder viver, de alma renovada e de amor tão saciada.

E o tempo que por mim passou, deixou marcas profundas, rugas com o sabor dos anos, primaveras de enganos e desenganos, que vagueiam como vagabundas, neste corpo que as carrega, e na alma que se entrega, a tatuagens do passado, que em mim ficou marcado, que agora quero apagar, os meus pedaços juntar, e viver um futuro desejado.

Miss Kitty #69Letras

Deixar uma resposta