Não passou de um sonho…

Depois de jantar preparei-me para a festa que uma amiga me convidou. Dress code, Cabedal! Vesti as minhas calças pretas e o meu corpete justo vermelho, pintei os meus lábios de vermelho e pus uma máscara na mala!
Chegamos ao sitio ela diz “põe agora a máscara”! Chegamos à porta dum palácio magnifico com uma porta enorme muito trabalhada cheia de pormenores! Batemos 3 vezes e vieram buscar-nos dois homens vestidos com calças e colete pretos de cabedal, com máscara, e pensei “uh la la!!” Um vira-se para mim “tu vens comigo…” pensei “onde ela me veio meter?”! Agarrei na mão dele e lá fui na aventura. Entramos numa sala com uma grande cortina de veludo vermelho e ao fundo uma cama revestida a cabedal preto com lençóis de seda vermelhos e com algemas para os pés e mãos. Estava com medo mas ao mesmo tempo excitada com tudo isto, tinha os mamilos hirtos e duros só de pensar no que viria a seguir! Começou-me a beijar com muito fulgor, a beijar o meu pescoço e ao mesmo tempo começou-me a despir, tirou o colete, passou as mãos ao de leve pelos mamilos… com língua a fazer círculos fiquei hirta de prazer, já estava a ficar húmida, desceu e despiu-me as calças, o fio dental, deixou-me os sapatos, de salto alto pretos. Atirou-me para cima da cama, algemou-me primeiro um pé e depois o outro, passou a língua desde o clitóris pela barriga, mamilos pescoço e algemou-me as mãos… vendou-me… passou-me as mãos desde o pescoço, pelas mamas, apertou-as lambeu-as, passou pela cintura barriga, virilhas, pernas e comecei a sentir um toque muito suave tal toque duma pena, percorreu o corpo todo até chegar ao ponto C e senti a língua a entrar pela minha vagina que sensação, enquanto a pena continuava no clitóris ele punha e tirava a língua, lambia de cima a baixo, chupava o clitóris, e que bem que sabia, enquanto chupava o clitóris punha um dedo na vagina e tive o primeiro orgasmo, vim-me para língua dele!! De seguida senti algo gelado arrepiei-me de prazer, passou o desde o clitóris e acabou a beijar-me loucamente! Tirou-me as algemas das mãos, e ainda vendada, meteu-mo na boca, estava duro cheio de tesão, não me fiz de rogada, chupei-lhe as bolas lambi até à ponta enquanto as acariciava com as mãos, lambi, chupei de cima abaixo e ouvir o prazer dele só me dava vontade de chupar e chupar cada vez mais engoli até garganta chupei a pontinha e ele diz “já não aguento mais”, desamarrou-me os pés tirou-me a venda, e ordenou “vira te”! Virei-me fiquei de joelhos, agarrou as nádegas afastou-as e enterrou-o todo lá dentro com força, qual o meu espanto quando vejo que a cortina estava aberta e tínhamos espectadores por trás dum vidro não me importei nada, até me estava a deixar cada vez mais louca, e ele enterrava com mais força, ao mesmo tempo que me arranhava as costas e eu disse “mais rápido mais rápido…”ele dá me uma palmada no rabo bem firme, que empinei mais o rabo, e disse “Xiu! Quem manda aqui sou eu!” sorriu… fiquei louca e começou a penetrar mais rápido, os dois a gemer de prazer… ordenou-me “vira-te” virei-me e ele veio-se para as minhas mamas, eu vim-me ao mesmo tempo os dois a rejubilar de prazer… No fim estava tudo a bater palmas, de pé, começo a ouvir musica de fundo… foda-se era o despertador tudo não passou dum sonho!

Ladybug

Deixar uma resposta