Impaciência | Um texto do Bastardo |

 

Impaciência

Esta luz que emana da Lua,
que me entra por estas janelas despidas,
misturam as sombras do meu corpo,
da nuvem fumegante que exalo dos meus lábios ansiosos,
espero -te em desespero,
o tique-taque deste antigo relógio de parede não avança pela minha vontade por muito que o olhe,
esta antecipação consome-me e tortura-me ,
nem a roupa aguento no corpo do calor que me dilui a pele em transpiração,
impensável como um beijo dos teus lábios me prostrou de joelhos a teus pés,
infectou-me de desejo incontrolável de sentir o teu gosto,
teu odor ainda implantado nas minhas narinas,
o teu corpo delicadamente esculpido na silhueta dos meus sonhos,
desenho ilusões de luxúria no recorte do fumo que liberto na minha respiração descontrolada,
acendo cigarro atrás do outro como se repartisse pedaços de momentos que rezo com todas as minhas forças que sejam rápidos,
que não demores meu novo vicio,
porque o antigo,

o tabaco esse está a acabar.

Bastardo

Deixar uma resposta