Cinco sentidos…

Oiço serenatas intermináveis, de notas memoráveis, que ecoam no meu ser, de prazeres indomáveis, altamente condenáveis, que me encantam os ouvidos, e tantos outros sentidos, com suave melodia, que alimenta corpo e alma, me embala e arrepia, e quem sabe talvez por magia, me possa devolver a almejada calma.

Tudo que ouso pensar, não consigo esconder no olhar, límpido e transparente, por vezes sombrio e descrente, de azul da cor do céu, ou cinzento e tão ausente, que revela tudo o que sinto, vê o mundo como o pinto, com cores inexistentes, que ao arco-íris fazem inveja, e tantos desejos prementes, pois com o olhar eu não minto.

Exalo cheiro a coco e jasmim, em constante Primavera florida, que me cobre desse inebriante aroma, enfeitiça até os Deuses de Roma, e o cheiro do desejo, doce e suave como um beijo, que corta a respiração, embriaga todos os sentidos, aflora desejos reprimidos e é pecado sem absolvição.

Tenho gosto suave doce e salgado, de mar no meu corpo amarado, que toda a minha intimidade inunda, transborda e preenche recantos, de néctar dos Deuses e encantos, mistérios por desvendar, doce mel que faz suspirar, adoçando todo este meu mar, que de sentidos me faz despertar.

O meu toque é de seda mais fina e pura, cada poro é fio que se entrelaça, numa pele que ao toque se deslaça, sucumbe a sensações e à ternura, dado com carinho e com candura, numa inocência que se desgraça, de botão de flor ainda por abrir, que espera o tempo certo de florir, a cada centímetro que o toque na pele passa.

 

Miss Kitty #69Letras

Deixar uma resposta