Ter-te…

Tenho-te em mim, tenho-te no olhar, no ser inerente, do momento presente, no olhar que te toca, neste corpo carente, que procura o sossego, do abraço e do apego, e do olhar que me vê, que não sei como me lê.

Tenho-te em mim, com a força da maré, que num acto de fé, me banha e transborda, os sentidos acorda, o corpo inunda de poesia, de cheiro a maresia, revelando o meu ser, toda a minha candura, que me entrelaça em ti, como magia pura.

Tenho-te em mim, no querer e no ser, em toda a minha essência, que sem displicência, abala o meu mundo, me rouba a inocência, e sem eu querer, à distância de um segundo, me faz tremer e é sentimento profundo.

Tenho-te em mim, entranhado na pele, essa que desfloras, os sentido afloras, tatuas com palavras, numa primavera de cores, de imensuráveis sabores, as letras que no corpo me lavras, que queimam como ferro quente, cravam o desejo premente, de provar o teu mel, doce e apetecível.

Tenho-te em mim, tudo isto no olhar, que não sei como o vês, ou sequer se me lês, resta-me imaginar.

 

Miss Kitty #69Letras

Deixar uma resposta