Morrer de saudades, não morrerei, mas não vivo, sobrevivo.

 

São tantas as saudades que tenho tuas que se as tentasse agarrar cairia no chão sem  força para as segurar.
São tantos os momentos que vivemos, foram cinco os Invernos que escrevemos juntos,

fomos mantas e mantinhas na pele um do outro, foi o nosso amor quente como uma efusão de chá.

De tantas histórias vividas e pequenos nadas escritos, hoje destaca-se um momento…

Aquele momento em que afasto a roupa da tua cama e sou borrifada com o cheiro do teu corpo nos lençóis, cheira a casa. Lentamente atravesso os lençóis frios atras do teu calor, e quando te encontro, quando me encaixo em ti estou finalmente no conforto do meu lar. Eras tu paz. Eras tu a razão do meu sorriso de satisfação até ao dia em que as luzes se apagaram e fiquei apenas com as lembranças e a cama fria.
Tenho saudades tuas.

Morrer de saudades, não morrerei, mas não vivo, sobrevivo.

Vizinha #69Letras

tenho-saudades

Deixar uma resposta