Final de tarde e um calor sufocante |Texto: Black Stiletto |

Final de tarde e um calor sufocante…

Texto Erótico|M18 | Este homem tira-me do sério.

E quando me deixo envolver nas loucuras dele, é como se saísse deste mundo, para ser transportada pela galáxia, talvez a sensação seja bem semelhante à da falta de gravidade. Se assim for, já fui à Lua muitas e muitas vezes.

Recebo uma mensagem, numa tarde calma: Tenho saudades tuas.

Esboço um sorriso mesmo a adivinhar o que se iria seguir. Sexo puro e duro, com este calor a tocar-nos na pele, não sei onde, nem a que horas, nem como, nem porquê. E não é tão bom quando é assim? Inteiramente inesperado.

Imediatamente o meu coração disparou, e respondi: Estou em casa. Vem cá ter.

Acho que nem meia hora tinha passado, quando ouvi a campainha tocar.

Mais uma vez senti que o coração ia saltar peito fora.

Os meus olhos deliciam-se com o que contemplam. Sempre com esse teu ar enigmático, pensei eu.

Entra e agarra-me. Beija-me como se não houvesse amanhã.

Nem um olá? – Pergunto eu a sorrir mas desesperada por sentir aquele corpo colado no meu.

Olá – responde, entre beijos espalhados pelo meu corpo.

Bom, vamos esquecer a conversa, temos tempo depois.

Já só penso em saboreá-lo, em meter aquele membro tão duro todo na boca, tanto que até me babo.

Despimo-nos mesmo ali, empurro-o para o sofá e começo a lambê-lo, enquanto o olho nos olhos e delicio-me com o prazer que lhe provoco. Entre gemidos solta um: Foda-se essa tua boca deixa-me louco.

Ainda fico com mais vontade de o engolir até ao fundo, até me engasgar, até chorar.

De repente agarra em mim e leva-me até à varanda.

Fico encadeada com a claridade e o Sol queima-nos o corpo. Ainda fico mais quente, que tortura.

Ainda bem que estamos bem alto e ninguém nos vê. Estou certa que iríamos ter assistência.

Debruça-me na protecção da varanda, afasta-me as pernas e sem aviso penetra-me até ao fundo, tão fundo que me doeu até à alma.

Só tu é que me fodes assim – disse-lhe.

Que saudades de te ter – diz-me.

Só tu sabes como eu gosto. Assim mesmo, sexo à bruta. Rápido, com força.

O calor do Sol ainda nos desperta mais a vontade.

Volto à realidade com uma grande palmada que me dá no rabo.

Grito de prazer e ele diz-me: prepara-te e não me peças para parar.

Sinto-o a deslizar até não caber mais. Que bem que me sabe esta mistura de dor e prazer.

Aquele entrar e sair sem piedade, deixa-me louca. Explodimos ao mesmo tempo entre gemidos, estremecemos e ele fica imóvel. Cansados e com a pele a queimar do Sol vamos para o sofá.

Deixamo-nos embalar pela respiração ainda ofegante e adormecemos.

Que belo reencontro.

Sabes-me sempre tão bem. O bom é nunca saber quando me vais surpreender novamente.

 

BLACK STILETTO

Deixar uma resposta