Espero-te…

Espero-te.

Sem vírgulas nem pontos, num mar de reticências, tal como nos contos, rendo-me às evidências, corpo e alma confronto, no meio de tantas carências, como espero uma maré, cheia de encontros e desencontros.

Espero-te.

Com um sorriso rasgado, por te ter encontrado, por ti despertado, que me torna maré viva, de ti receptiva, num corpo que reage, ao desejo que o coage, e faz sentir tão viva.

Espero-te.

Até que a noite apareça, vestida de lua, com esta pele tão tua, e o corpo que anoitece, em dunas de areia nua, só ao teu toque obedece, com desejo e paixão, deixa-me sem reacção, até que adormeça.

Espero-te…

Miss Kitty #69Letras

Deixar uma resposta