Gravata Grey, cinza desculpem

Merda Sin!
Porque tens de deixar tudo para ultima! Sempre!
Nunca mais aprendes! Depois faço, depois tenho, mais daqui a pouco…
O resultado está à vista!
Não compraste a prenda para o aniversário que foste convidado! Agora amanha-te!
Saio do trabalho a correr, fato preto, camisa branca e gravata Grey, cinza desculpem.
Hora de ponta, trânsito num caos e o meu olhar procura um táxi como um leão procura a sua presa.
Vejo um, faço-lhe sinal, pára junto a mim e assim que coloco a mão na porta…
“Esse táxi é meu!” diz uma voz feminina atrás de mim!
Que lata!
Queres ver que tenho de aturar mais uma dondoca!
Calma Sin! Etiqueta e boas maneiras!
“Minha Sra, fui que mandei parar o táxi.”
“Ahahahahah, e era mesmo por si que ele ia parar, quer ver?! Com esse fato preto e gravata…Grey?”
“Grey não, Sin! Muito gosto!”
Claro está que neste vaivém de palavras já o táxi se tinha “posto ao fresco” e ido embora.
“Meu nome é Steel. Miss Steel, para si.”
“Muito gosto. Precisa de um táxi?”
Ou sou eu que preciso? Ou precisamos os dois? Ou esquecemos o táxi e…
Pára Sin! Olha a prenda!
Impossível parar de olhar para aquela imagem diante de mim?
Sim, ok, não foi simpática, mas esse ar altivo de alguma forma excita-me! Já não estou ali…a minha mente vagueia…viaja…
Olho em redor…ouço apenas o tilintar de correntes provocado por uma pequena brisa que entra nem sei bem por onde…
A sala é fechada…sinto o cheiro a cabedal…vejo acessórios nas paredes…velas vermelhas acesas…
Lindo Sin! Agora é que a arranjaste bonita! Vieste parar ao purgatório! Eu sabia que devia ter comprado a prenda! Sabia! És sempre o mesmo!
A porta abre-se lentamente!
Uma figura feminina fixa o olhar em mim, quase olhando para a minha alma!
Fato de látex preto fechado até ao pescoço, stilleto preto nos pés, cabelo acastanhado.
Caminha na minha direcção!
Entre nós cresce o desejo mútuo de os nossos corpos se entregarem.
A respiração aumenta,sem controlo…
Nem um palmo fica entre os nossos rostos.
A mão dela desliza pelo meu corpo que treme sem eu querer.
Meu Deus que desejo!
Sinto o seu peito contra o meu e o seu corpo…
Sinto a sua língua no meu pescoço lentamente…
Os seus lábios nas minhas orelhas…
“Hoje és meu!”
Quis dizer alguma coisa, mas depressa me interrompeu…
“Sabes o que vais fazer agora de seguida?”
“Oláááá!!!! Está aí alguém?! Parou outro táxi! Já é o terceiro! Vai o sr ou vou eu?!”, dizia Miss Steel com um ar mais que enfadado!
“Peço-lhe imensa desculpa, pode ir a Srta que eu prefiro ir a pé…para desanuviar!”

7thSin✟ 69 Letras® 17.08.2016

Deixar uma resposta