Lambo-te toda como se me alimentasse de ti…

496ccfe3f4d11938eb648b0df17ebd26

 

Texto Erótico|M18 Se te consigo sentir ? Consigo, até nos passos que oiço no hall de entrada, mesmo sem te fazeres anunciar, sei que és tu. Quando metes a chave a porta, inundas toda a casa com o teu perfume. E como os meus móveis se riem com a tua entrada, como se ganhassem vida por momentos. O teu sorriso invade todo o espaço e a luz é o que menos interessa, porque a luz que carregas contigo não paga adesão, a não ser a mim que me sinto grato por esta benesse que me dás. Sorrio e tu mandas te para cima de mim quando estou deitado no sofá. Já te disse inúmeras vezes que vais acabar por me aleijar, mas nada a fazer essa rebeldia que sai de ti não tem comparação. Depois vais ao frigorífico e de boca cheia de leite, mandaste novamente para cima de mim, que tesão me provocas com essas brincadeiras, quando o deixas escorrer pelos teus seios e ficas te a rir nesse teu gesto de ” agent provocateur “. Eu puxo-te para mim, e ali ficamos os dois na troca de beijos e lambo-te toda como se me alimentasse de ti. E tu ris, e eu rio, numa parvoíce pegada. Toda a mulher devia ter um bocado de ti, dessa tua rebeldia pura, de lolita, tola e imatura. Adoro o teu cabelo sabes e quando me pedes que te foda e te puxe por ele, sinto me revigorar. Aprendes com uma facilidade tal, que aos poucos e poucos, ja começas tu a comandar e num comando real não ilusório, porque na realidade és tu que mandas em mim. Nas voltas e voltas que já demos na cama, o teu corpo retorna a si, numa rapidez fantástica mas eu castigo te, uma e mais uma vez acho eu, a verdade é que inconscientemente tu é que me castigas a mim. Quando entro por ti dentro e o meu sexo procura espaço para se acomodar ao som do teu gemer baixinho e ranger de dentes, não sabes a tesão que me provocas e toco te bem lá no fundo e gritas, e  insultas me, e reviras os olhos, num orgasmo tal que paro apenas para admirar tão belo quadro perfeito, divinal como se olhasse o tecto por debaixo da Capela Sistina e Michelangelo olhasse para mim de cima para baixo, sentindo me deslumbrado pela tua beleza, numa obra de arte que é esse teu rosto quando me olhas nos olhos e o suor te escorre em catadupa do rosto, numa chuva que me beija os lábios, fruto do teu calor intenso. E é isso no fundo que sinto quando estamos juntos, nós não fodemos, fazemos arte.

Rasputin #69Letras

Fotografia: Via Pinterest

Deixar uma resposta