BUS

? ?  Texto Erótico|M18 ? ?
O Bus faz uma travagem brusca, nem tempo tenho para me segurar.
Sou projectada para a frente e quase a bater com a cabeça no varão, sinto uma mão a rodear a minha cintura e a puxar-me para trás.
Ia retorquir, mas fiquei sem fala, quando senti o meu corpo encostar-se a algo parecido a um rochedo.
Olhei e vi, aquele monumento de homem que me acompanhava todos os dias, mas só nos víamos à distância, e de quando a quando os nossos olhares cruzavam-se.
Do nada o meu coração disparou! Tive de controlar a respiração e inconscientemente o meu corpo encaixou-se no dele.
– Está Bem? Não se magoou?
Senti pela primeira vez aquela voz rouca e forte, e o seu cheiro… Ai o cheiro! Que arrebatou as minhas narinas, deixando-me estonteada.
Ia tentar me desembaraçar daqueles braços fortes e seguros, que nem dei conta o quanto fracas as minhas pernas estavam, do susto que apanhei.
– Sim….Disse. E, ia caindo de novo e, de novo senti aquele braço à minha volta.
– De certeza!! – Retorquiu. Mas desta vez, olhei-o nos olhos e vi o seu olhar malicioso.
Porra!!!Que se passa comigo? Tentei recuperar as forças e tentar ficar longe dele. Mas foi impossível. O Bus estava cheio, não conseguia sair dali.
Desejosa que a paragem da minha saída, chegasse rápido. Precisava de me afastar daquele corpo, o som da sua voz ainda ecoava, a respiração dele entorpecia os meus sentidos.
Não conseguia raciocinar, nem agir. Foi como se estivesse presa a um íman.
Nunca nenhum homem me pôs assim. Preciso SAIR!!!
Cheguei!! Que bom!! Tive de empurrar as pessoas à minha frente para poder sair dali, o mais rápido possível.
Não olhei para trás, comecei a descer a avenida.
Do nada senti puxarem-me para uma ruela. Ia gritar.
Quando fui encostada à parede e silenciada com um beijo bruto, arrebatador, de perder o fôlego.
As mãos que me envolveram, senti que as conhecia, abri os olhos e deparei-me com ele. Aquele monumento do Bus.
Ia para me desviar e falar, mas não deu hipóteses. Voltou a beijar-me, levantou-me as  pernas, arrancou-me as cuecas e puxou-me para ele.
Pude senti-lo todo em mim. Senti o meu sangue ferver, o desejo que estava a sentir era incontrolável. Não conseguia controlar-me.
Deixei-me ir. Viemos-nos como se fossemos um só.
– Desejo-te desde o primeiro dia, que te vi, naquele bus. Anseio todos os dias para te rever. Nunca tive coragem de te abordar, até hoje. O teu corpo  e o teu cheiro despertaram desejos que nunca imaginei ter.
O que ele me segredou ao ouvido, senti um arrepio na espinha e o meu coração descompassado. Sai disparada e deixei-o sozinho, naquela ruela.
Cheguei ao escritório e a minha colega perguntou:- Estás bem? Está tudo bem?
Acenei com a cabeça :- Sim. Porquê?
– Porque estás corada e toda desalinhada.
Fiquei embaraçada e disse-lhe: – Houve um acidente no Bus. Vou só ao WC retocar-me.
Sei que ela não acreditou. Que se lixe!!
Passei o dia a pensar naquela ruela, no meu corpo junto ao dele..Como é possível eu ficar assim?
No dia seguinte….
LOLA #69Letras

Deixar uma resposta