Realidade ou Ilusão

c190873511c881d16d017d5e2171934b.jpg

O que é a realidade ou a ilusão? Será um beijo? Uma vida? Um sentido de força desmedida? Da força que nos vem do coração, ou será apenas um eterno senão?
Um senão que nos vem da alma, que nos faz perder a calma, ignorar a razão e viver em pura ilusão.
Ou realidade de ter vontade na ilusão criada, de uma porta semicerrada, ou uma nuvem que atravessa o azul do céu e não cobre a terra de um breu, ou o corpo de uma mulher na ilusão de ser amada e numa realidade formada, de ser mais mulher ainda se em seu corpo de deleite fechada a abrir a quem merece, a quem da noite do dia faz o seu peito que amanhece, na vontade de ser apenas ela, porta aberta ao prazer, á janela do seu ser tão perfeito, numa primavera iludida de falsa janela, realidade foragida.
Ou a realidade de ser amada será uma ilusão desmesurada, confinada a uma vontade de querer ser como é, simples e despudorada, para quem a compreender e a faça render ao prazer, clareando a sua madrugada e fazendo-a florescer, mesmo sabendo do “senão” de uma ilusão poder ser.
Apenas ser mulher, não ser uma ilusão, ser amada com paixão, alma, corpo, coração, toda a vida na palma da mão, que se abre, realidade de quem sabe o que quer, esse prazer de ser mulher, amante, mãe, berço gigante de nascimento infante, trovadora de cantigas de embalar, numa cama soçobrar em laivos de prazer não iludidos, sentidos consentidos em dois corpos estendidos, orgasmos seguidos
E que a ilusão passe a realidade, com um misto de prazer e verdade e faça com que essa mulher, mãe menina e amante, esqueça de uma vez a dor e não ignore o amor, baixe as suas defesas e active os cinco sentidos, carentes adormecidos, em orgasmos tão sentidos de dois corpos que se abandonam despidos, entre toques e beijos queridos numa realidade que não é ilusão, onde prevalece o amor e o coração.
E que num gesto tão simples, como o mero afastar de cabelo, timidez de um corpo belo em pêlo, se fique pela realidade da vida em seu coração, ilusão de uma vida, carregada de amor e paixão, se aquiete por uma vez na realidade de ser apenas uma mulher, a mulher que na sua força de ser tão mulher, realidade de fonte de prazer, saber que a vida é um querer, envelhecer na vontade de viver o que ainda tem para viver, entre pernas outro corpo recolher e tornar de uma vez por todas, menos uma ilusão de realidades eternas.

Miss Kitty & Inquilino #69Letras

Deixar uma resposta