Finalmente, um ponto final.

Deixei de contar o número de dias desde que estou sem te ver, já não és saudade nem te arrasto por entre a paisagem. Quando o meu olhar parou de te procurar passaste de pontual a mera e breve memória nos meus pensamentos. Já nem o teu sorriso me visita durante a noite!

Segui e consegui deixar-te ficar. (Achava eu que te devia eternizar)
Hoje o encanto das estrelas é só meu quando falo com elas é sobre mim conto. Deixaste de ser um pedido ou um desejo ardente.


Já não interessa se para onde vou tu não estarás, o medo de outrora é hoje liberdade!


Agarraste-te à minha perna e arrastei-te por tempo demais,
cansou-me a alma,
cansou-me o corpo.
Custou que me largasses e foi então que a vida interferiu.
O teu fim foi o levantar do meu voo onde não mais cabem saudades.

© ?Cátia Teixeira, Vizinha 69 Letras 2016

Deixar uma resposta