MECO.jpg

Texto Erótico|M18

Festival do Meco de uma conhecida marca de cerveja.
Além de coordenador técnico, acumulava funções de segurança e organização. Não sendo novidade para mim era normal serem uns dias com excesso trabalho e pouco descanso. Nas horas em que todos dormiam, aproveitava a vantagem da moto 4 e, lá ia eu até ao Meco aproveitar o sol e a paz da manhã.
Era o segundo dia de montagens e queria aproveitar o nascer do sol, adormeci ao de leve. O calor e a brisa fresca embalavam-me. Passado algum tempo senti-me observado, não era anormal ali, mas tão cedo??!!, Abri os olhos e renasci, a poucos metros de mim uma Deusa, cabelo castanho claro entrançado, olhos azuis cristalinos, um sorriso que ofuscava o sol. O corpo de pecado numa pele ainda a ganhar côr, peito redondo perfeito, mamilos salientes, uma cintura perfeita e a vantagem do Meco, não há segredos. Vagina de lábios perfeitos, em cima um risco de pêlo castanho com tanto de atrevido como erótico. Já o meu corpo mostrava uma erecção quando ela diz o meu nome. Gelei por segundos, mas… – Conheces-me??
E ela – Claro que sim. Já ontem o tinha visto, hoje ganhei coragem e resolvi aproximar-me. Estava com vergonha, mas pela tua reacção acho que fiz bem. E sorriu.
– Claro que fizeste bem, como é visível…, disse eu meio encaralhado. Mas de onde nos conhecemos??
– És meu colega, trabalho na pré -produção, normalmente só falamos ao telefone, mas desta vez quiseram-me cá. Ainda bem não achas?
– Acho! Acho bem! Eu já venho.
Para reduzir o constrangimento de estar completamente entesado na frente dela fui à água rezando para que estivesse fria. Quando regresso, a sua toalha estava ao lado da minha. Deitei-me fixando-a nos olhos.
Beijou-me apaixonadamente..
– Hum!!, Sabor de mar… Adoro!! – Disseste. Mais um beijo envolvente e não resisti.
Percorro o teu pescoço com a minha boca e as minhas mãos exploram o teu peito, preparo-as para a chegada da minha língua, que chega logo. Primeiro um, depois outro e já as pontas dos meus dedos afloram a tua vulva húmida.
Vou descendo esfomeado pela tua barriga, afundo a minha língua bem fundo na tua púbis, tilinto o teu clitóris na ponta da minha língua insistentemente até te vires.
Delicio-me com o teu sabor, enfio os dedos em teus orifícios e dou-te a provar. Absorves tudo avidamente, já massajas o meu pénis duro nas tuas mãos, forças-me a deitar. Curvas-te sobre mim e ele desaparece quase totalmente na tua boca, atinjo o limite da tua garganta, queres mais mas não consegues. Que boca!!!!!, Adoro a tua delicadeza e vontade, quase me venho. Percebes a tempo, paras e, saltas para cima. Enfias-lo todo duma vez, gritas bem alto.
Felizmente aquela hora não há ninguém para ouvir, excepto eu que deliro com os teus gemidos e gritos. Cavalgas como uma louca, sempre intensa e bem fundo em ti. Vens-te enquanto me beijas, prova disso as unhas que me cravas no dorso no momento do clímax. Sem o tirar rodas sobre o meu membro, que vislumbre as tuas nádegas e vê -lo desaparecer no seu meio…., contínuas a montar-me a teu belo prazer.
Lês-me o pensamento, sobes um buraco. JASUS!!!!, Que cú apertadinho!!, Sinto-me a vir, tu também,
Saltas de repente, matas-me na tua boca e recebes até à última gota.
– HUMMMMM!!!!!Delicioso! – Dizes com um sorriso de sacana. Sabes onde me encontrar de manhã, um bocadinho antes do dia nascer.
Foi um belo festival, e a perfeição começava sempre pela manhã..
Nú naquela praia.
Bastardo #69Letras

Deixar uma resposta