Tu matas-me.. E eu adoro morrer por ti!

Chegou a hora de voar.. Voar cada vez mais depressa e ganhar impulso para chegar à superfície e voltar a ver a luz. 
Luz essa que sempre me envolveu e me fez criar laços e espalhar alegria por todos os que me rodeiam.

Tenho saudades..

Do meu sorriso genuíno, da gargalhada espontânea.. De toda a merda que sempre disse da boca para fora com o intuito de animar toda a gente. Dos copos que bebia para me divertir e não para te esquecer.. Da vontade de caminhar e fazer desporto por ser saudável, e não para descarregar a frustração de não te ter. 

De sentir borboletas no estômago e não estas “coisas” horríveis a corroerem-me todas as vezes que penso em nós.. Quando penso no que nos afasta!

Dá-me vontade de gritar um…

FODA-SEEEEEE!!!!

Perguntar porque é que é tão difícil fugir do que nos faz feliz, só porque tem de ser..

Perguntar o que acontece quando duas pessoas se gostam e se afastam porque TEM DE SER..

Perguntar porque não te conheço desde sempre, quando a sensação que tenho é mesmo essa.. Que sempre te conheci!

Por vezes, mesmo sendo adulta, parece que volto à idade dos porquês! 

Porquê? Porquê? Porquê?

Depois chego à conclusão, que nada acontece por acaso. E que tu apareceste na minha vida para aumentar a minha auto-estima, o meu amor próprio, para me fazeres rir e vir e rir.. 

Para perceber que o que nos une a alguém transcende o físico..

E para me preparares para o homem da minha vida! Alguém que me diga o mesmo que tu: 

“Tu matas-me..

E eu adoro morrer por ti!”

Mas que não seja só por momentos.. Porque eu adorava matar-te dessa maneira.

Annastasia #69Letras

Deixar uma resposta