os nossos corpos queimavam e que se queriam.

image

E se eu te disser que sonhei contigo e que conheci o teu sorriso que nunca vi?
Estranho não é? A minha mente criou-te para mim, porquê? Porque sim. Foi encantador sorrir com o teu sorriso, ouvir a tua voz e deter-me na orla da tua boca adornada, perder-me no movimento dos teus lábios e fazer amor com as tuas palavras. Foi surpreendente quando nasceu um beijo. Um beijo que parecia arduamente desejado que nos roubou a respiração quando os lábios se tocaram e nos sossegou a alma quando se deu. Foi explosivo o encosto dos lábios, foi sentir o corpo aquecer quando estava a escassos centímetros da tua pele, foi sentir a tua barba nas minhas mãos quando segurei o teu rosto, foi respirar na tua respiração e por fim unirmo-nos em vontade e desejo que no sonho nasceu. Imediatamente após esse primeiro e lânguido beijo, as tuas mãos guiaram-me para o teu colo, desceram pelas costas e assentaram na cintura apertando-me ainda mais para ti… soltaram-se-me leves gemidos e este corpo estremeceu…lembro-me que os nossos corpos queimavam e que se queriam. E como se queriam…!

Deixar uma resposta