Entrelinhas

13220825_1695794413999622_7656058334273012693_n

Acordei cedo, tão cedo que ainda vi a escuridão desvanecer e dar vez à claridade.
Do sol nem miragem, chove compulsivamente, provavelmente razão da minha melancolia matinal, sinto-me absorto, fora de mim mesmo, dou por mim a fazer um Cappuccino. Só tu, me obrigavas a fazê-lo logo ao acordar fecho os olhos, solto um foda-se baixinho, faz hoje um ano que te fostes. Que sais-te com lágrimas nesses olhos pretos e um beijo de despedida que me arrancou o coração para parte incerta.
Abro a janela, o cheiro a terra molhada lembra-me o teu cabelo molhado, por momentos ainda sinto nos lábios o gosto a hortelã-pimenta acabada de apanhar dos teus lábios, confessaste-me que te levantavas antes de eu acordar para lavar os dentes e me dar essa frescura ao acordar. Adorava. Numa pequena fracção de tempo sinto o teu corpo entrelaçado no meu, num despertar doce, suave, os cheiros dos nossos corpos impregnados um no outro, resultado da noite anterior.
O teu sorriso travesso perante a minha tesão matinal consequência do teu peito de bicos erectos no meu e a tua vagina húmida no meu joelho, lês-me o pensamento, montas-me de forma delicada, sem pressas assumes o comando, sinto a profundidade e a velocidade do meu membro nela, enquanto gemes e balbucias tão booommm.
Deixo-me levar, contigo sempre me deixei levar totalmente, vimo-nos simultaneamente. Duas almas numa, química perfeita, e aquele teu, “já tens fome” com todo o atrevimento que te era natural.

Deus!!, um ano de ausência, um ano sem cor, sem vida real, só lascívia e necessidades satisfeitas. Foste.
Tinhas que ir à tua vida e o teu futuro levar-te para longe de mim. Sabes que sou incapaz de relações à distância, muito menos à distância de continentes.
Mas a verdade é que, agora que sinto este café complexo a passar pelo palato, abri os olhos e ao longe, uma pontinha do sol aparece no horizonte. Penso enquanto finjo um sorriso, um pouco desta luz vêm de onde estás, talvez brilhes para mim, talvez como eu, estejas a apreciar uma imitação de licor noz que adoras e a pensar em mim.

Se assim for, lembra-te ,um pouco dessa luz que se deita no lugar onde estás, também é minha e do meu coração em parte incerta.

Bastardo #69Letras

Deixar uma resposta