Chuva de Novembro

12928390_1679982502247480_2385643046480294376_n

A chuva caía miudinha naquela noite de Novembro, a rua estava deserta e Sofia embrulhada no meu braço esquerdo. Ainda nos dói a barriga de tanto rir pois a noite no Bar do Lipe foi de relaxe e descontracção total…
Ainda enebriados pela animação constante da noite e dos gins bebidos, nem demos conta que a chuva aumentou! Ainda nos aventuramos a dar mais alguns passos mas a chuva insistiu em ficar intensa obrigando-nos a abrigarmo-nos na entrada daquele prédio rosa! Só até acalmar um pouco! Aconchegaste-te em mim, como que a procurar um pouco de calor!
E foi calor que te dei! É impossível resistir ao teu cheiro, ao toque da tua pele. Nossos lábios se tocam, nossas línguas se enrolam… Tua boca é uma autêntica bomba de prazer, quente e doce, suave e desejável… Este primeiro beijo durou tanto tempo que ficamos ofegantes e a olhar um para outro como quem diz “que é isto? Eu quero isto? Que coisa boa! Quero mais!” Não perdemos tempo e estou de volta aos teus braços.
Aconchego-te mais a mim, e ambos sentimos o desejo que nos consome no momento! No meio de um beijo dizes-me ofegante, “Quero-te, agora! “, e percorres-me o tronco por baixo da camisa com as tuas mãos suaves, sentindo o meu arrepio às tuas palavras! Com a minha mão subo-te o vestido meio húmido, e sinto a tua coxa macia enquanto te levanto a perna, chegando-te a mim! Ai o teu gemido ao sentires-me duro e cheio de vontade de ti!
Sento-me na escadaria, abrindo os botões das calças, e tu, com as tuas mãos delicadas libertas o meu membro já duro e erecto, descendo suavemente o teu corpo no meu… Desvio ligeiramente a tua cueca para o lado, permitindo que tu te sentes no meu tesão… Hum.. Adoro a tua cavalgada…
A mistura do calor do nosso desejo com o som da chuva a cair, e o perigo eminente de sermos descobertos aumenta-nos a vontade um do outro! Estás tão molhada, tão quente!!! Enquanto as minhas mãos no teu quadril dão intensidade á tua cavalgada, mordes o lábio e gemes ao mesmo tempo! Levas as minhas mãos ao teu peito e fazes-me agarrar-te firmemente o peito, nos teus mamilos pouso os meus lábios e a minha língua! Gemes deixando a cabeça cair para trás! Humm!
A chuva cai, aumentando de intensidade ao ritmo do nosso prazer, nossos corpos alimentam-se desta dança húmida e sedutora! Como és deliciosa e viciante!
Olhas-me intensamente e nesse momento sei que o teu clímax está eminente! Libertamos em uníssono os nossos gemidos orgásmicos, quentes e ruidosos! Foda-se! Tão bom!!
Abraças-me e deitas tua cabeça no meu ombro, ficando assim uns largos minutos…
Enquanto recuperamos a respiração a chuva acalma, e compomo-nos um ao outro! Aproveito para mais uma vez sentir a tua coxa macia, e tu olhas-me de soslaio por cima dos óculos esboçando um sorriso maroto!
Encaminhamo-nos até casa!
Hoje a chuva cai miudinha, alguns Novembros depois a rua está deserta, passo pelo prédio rosa e revejo o sorriso maroto de Sofia!
Aiii esse sorriso mata-me!!!

O Vizinho #69Letras

Deixar uma resposta