O mundo passa e só observa tal loucura e os vidros embaciados…

12705343_1660356437543420_5881409706811397943_n

Naquela noite, ao chegar à porta de casa olhei-te. Estavas ali parado dentro do carro à espera de um olhar assim. Verdade!?
Assume que o teu olhar foi um convite e que os meus sapatos altos e vermelhos, pé ante pé, num caminhar decidido sobre a calçada te fizeram estremecer!
Ainda me lembro da tua boca de espanto quando me debrucei no vidro do carro e pedi que o próximo gesto fosse destrancares a porta.
Entrei, sentei-me e passei a mão pelo cabelo, vinha desalinhado do vento e queria ter plena noção que te via bem, que te sentia o olhar de desejo sem perder pitada.
Eu, pobre bandido, fiquei pasmo a olhar para tal pedaço de pecado, não conseguia já conter a excitação, de tal maneira que o relevo nas minhas calças se fez notar, a tua mão puseste sobre a minha tesão e sussurraste ao meu ouvido: – Dominas-me por completo!
Ajeitas o decote e mais me enlouqueço, apresso-me a beijar teus lábios em tom vermelho paixão, e as minhas mãos a caminho de teu sexo levei.
Ali, com a mão no meio das minhas pernas, movimentavas os dedos, num vai e vem lento, num vai e vem apressado seguido de múltiplas penetrações intensas, eu já não controlava a respiração, os gemidos eram de tal forma evidentes que quem passasse por nós, saberia que aquele carro tinha história…
Enquanto me penetravas com os dedos e passavas o meu mel pelo meu clitóris humedecendo-o, eu suplicava-te ao ouvido que não parasses e dizia-te:( – Prova, sabe a pêssego!). Entretanto minha mão no teu sexo movimentava-se qual presa sedenta de ritmos.
Não demorei a olhar-te nos olhos e a morder o lábio…
Sei que adoras!
Levantei a saia e sentei-me em ti.
Sinto o calor do teu corpo ao colo do meu, os teus movimentos cavalgantes em mim fazem-me delirar a cada investida da tua púbis, sou já refém de tanto sexo selvagem de puro desejo e olhos nos olhos estamos perdidos um no outro.
O mundo passa e só observa tal loucura e os vidros embaciados…
Nós observamo-nos com vontade, o orgasmo é mútuo e inevitável e nem íamos parar até obtermos aquilo que ambos desejávamos desde que pisaste a calçada na minha direcção.
A humidade em ti revela-me o quanto me queres.
Vieste aqui até mim,agora vamos-nos vir os dois, e a história mais uma vez será escrita…
E entre gemidos, lambidelas, cheiros e suores, atingimos o além orgasmo, como se de um outro qualquer paraíso erótico se tratasse. Benditos sapatos vermelhos!#69Letras
Ela
&
Ricco

 

Deixar uma resposta