Mordo meus lábios, meu corpo desperto sucumbe à poesia que lhe trazes.

12745889_1662294517349612_4995353720296836376_n

Nas tuas costas estão os meus lábios.
Só de imaginar teu cheiro a entrar pelas minhas narinas fico arrepiado…
Sentir o calor que exalas da tua boca enquanto me percorres a pele…
O percorrer conjunto dos meus lábios.. Deliciosas pegadas de beijos suaves com que me amas com cuidado. Leve roçar de barba que me iriça a pele e provoca espasmos no meu corpo…
Doce, terno e adorável terreno onde me perco incontrolavelmente…
Mordo meus lábios, meu corpo desperto sucumbe à poesia que lhe trazes.
Quero-te, deixa que te beije…
Bebes dos meus lábios o mais doce néctar de desejo, vontade e tesão…
Tua boca é rica em sabor de completa experiência que me põe a levitar… Beijo-te e enlaçamos as nossas línguas…
Num tango sensual e rico em sensualidade elas se unem e desperta em mim um querer indescritível de te desejar só minha…
Os meus olhos maravilham-se por te ter tão perto… Abraço-te e percorro com os meus dedos as tuas costas… Teu corpo é meu… Quero-te bem perto…
Nada nem ninguém nos tira daqui… Este momento é nosso, só nosso para o sempre…
O tempo que corre lá fora não tem a calma da entrega do nosso amor, solenes carícias e silêncios poetizados pelos nossos corpos, faz deste espaço o templo do amor, onde aqui, tudo é intenso e sensorial…

O Vizinho
&
A Amiga do Vizinho
#69Letras

 

2 comentários a “Mordo meus lábios, meu corpo desperto sucumbe à poesia que lhe trazes.”

Deixar uma resposta