Inebrias-me os sentidos nesse teu aroma de poeta.

12728949_1661632894082441_1718103046367514368_n

Pouca roupa…. Sentir a música…. Namoriscar a pele…!
Sentir o teu cheiro
O doce da tua essência
A suavidade dos teus cabelos arrepia-me a espinha.
Inebrias-me os sentidos nesse teu aroma de poeta.
Fico com os lábios dormentes à espera que mos acordes
Encostas os teus e estes deslizam entre o superior e o inferior.
Com uma mão agarro-te o rosto, páro e olho-te nos olhos.
Espelho doçura…
De súbito beijo-te profundamente e o meu corpo embrulha-se no teu.
A melodia ecoa no ar, os nossos beijos acalmam-me a alma e sossegam os fantasmas.. Eleva o meu ser e desarma-me..
Já não sei viver sem este estado de espírito, permanente nirvana onde a respiração tem a calma de uma lagoa.
Nossas peles são a única roupa que usamos,
Nús
Plenos
E entregues.
Somos suaves e absorventes
Teu desejo
Meu desejo
Mornos serões que se estendem tarde fora
Deita-se o sol
Levantamos fervura
Ao ritmo do crepitar da lareira sinto a melodia do teu ser, a força do teu beijo, a extensão do teu abraço.
O desejo apodera-se de nós, assim como a vontade deste momento não terminar…
É eterna esta vontade de desfrutar da companhia um do outro.
Damos as mãos e deitados no chão rodopiamos no meio da sala
Enquanto o vinho nos entontece
Apuramos os sentidos….
Eleva nosso querer e desejo carnal
Acelera o coração, intensifica a respiração
Este momento é nosso, tão único que nada nem ninguém nos tira daqui..

O Vizinho
&
A Amiga do Vizinho
#69Letras

 

1 comentário a “Inebrias-me os sentidos nesse teu aroma de poeta.”

Deixar uma resposta