Desenha-me os lábios a negro!!

Se nesses caminhos de espuma húmida
encontrares os meus lábios secos de fenos e de auroras,
esmaga-lhes o desejo de penas aladas e ventos sem bruma
corta-lhes sem piedade a língua que por ti chama
e engole-a com a mais fugaz das tuas forças
ocultas…
caminhos de granito pisei quando descia dos
teus abraços…
Longe me pareciam as searas sem nome
As ruas sem placas de boas vindas…
e o chuveiro frio estava lá sempre à espera
da primeira ponta do pé que o provava…
Na ponta do dedo a vontade era pequena
mas como em tudo na vida
um banho frio de alma arregaçada e peito nu
de pele espinhosa e de arrepio sem dor…
torna o virar de cada esquina uma janela
e nela
na janela
uma corrente de ar leva fogos ardentes
e traz…
areias sedosas no caminhar mais ameno
suavemente pintado a pincel…
Desenha-me os lábios a negro!!
Em qualquer que seja a cor da foto…
Falo-te!
 

 

©Ela 2016 #69Letras

 

 

Deixar uma resposta