No Words

 

 

 

 

Corpos cansados, cada um para o seu lado, cigarros acesos e olhas-me como se fosse um anjo desprotegido,

a tua ternura fere-me finjo nem te notar e perco-me a olhar para o fumo do meu cigarro enquanto tu continuas

a fitar-me como se fosse a mulher mais bela que alguma vez conheceste,

não permitirei que me faças gaguejar quando dizes o que quão perfeita te pareço despenteada,

nua sem acessórios e maquilhagem na tua cama,

com as pernas encolhidas junto ao peito e o meu jeito tímido de colocar o cabelo atrás da orelha.
Quero a tua companhia e o teu calor,

renova-me a alma mas não ouses quebrar o meu coração com conversa desinteressante,

ou em elogios que estou farta de ouvir.

Não! Não faças isso.

Nada de palavras.
Toma o meu corpo,

é a melhor forma para me levares a ficar.
Sem palavras,

apenas corpos suados que colidem como se o mundo fosse desaparecer,

como se o s3xo fosse o único alimento que nos fará sobreviver.
Silêncio.

© Cátia Teixeira 69 Letras 2015

Deixar uma resposta