Arquivo de etiquetas: sentir

Quero um homem!

Quero um homem!

Um homem sem medo de se entregar.

Um homem sem medo de beijar e ser beijado.

Um homem sem medo de tocar e ser tocado.

Um homem sem medo de sentir e ser sentido.

Quero um homem que me queira f@der, mas que também queira  o que muitos chamam de “ fazer amor” e eu chamo de sentir e entregar.

Quero um homem que deixe as suas mãos tocarem-me suavemente, e que cada beijo que me dê seja compreendido e entendido.

Ahhh!!! Como seria bom, um homem assim…

Quero um homem que não tenha pressa.

Quero um homem que me faça vir, antes de pensar nele.

Quero um homem que me olhe nos olhos a cada investida e não tenha medo do que veja.

Quero um homem que enrosque o seu corpo no meu, depois de me fazer sua.

Quero um homem que não tenha medo de ser feliz, mesmo por um dia…

 

©The Oyster 2017 #69Letras

 

Crônicas de vida de Pedro d’Almeida ( A surpresa)

Estava longe de imaginar o que uma simples sms poderia trazer aquele fim de dia.

O dia anterior não tinha acabado da melhor forma.

Encontros repetidos…

Conversas de circunstância…

Sexo um pouco monótono…

A relação parecia caminhar para o fim…

“Hoje para variar sou eu que mando!

Obedeces!???”

Não consegui conter um riso sarcástico…

“Está bem… Vamos tentar…

Vens cá ter?” Respondi.

Plim!!

Soou a sms…

“Não! Estás disposto a obedecer?”

A curiosidade é

uma arma terrível…

Veremos até onde a brincadeira vai…

“Ok..

Que queres que faça?”

Plim!!!

“Vai tomar um banho…

Quero que te depiles naqueles sítios onde desejas que te beije e acaricie…

Sei que tens assim normalmente…

Hoje quero tudo bem sensível…

Fresco…

Como um mapa para concentrar a minha atenção…

Estás disposto?”

Algo acordou em mim…

“Não preferes que te leve lá a boca?”

Plim!!

“Não!Obedece!”

Plim!!

“Quando acabares, quero que te olhes ao espelho e me mandes foto da tua tes@o! Quero ver se estás com vontade que te chupe!”

Fod@-se… Estás a pedir muito!!

Um pouco contrariado, entrei para o chuveiro.

Conforme a mistura das sensações da espuma com o passar da gillete e a sensibilidade da pele se faziam sentir…

A ideia começou a crescer em mim…

Tornou-se difícil resistir a acalmar-me logo ali…

“És fodid@!”

Pensei…

Enquanto apertava o membro rijo entre a mão!

Como que domando a vontade que me assaltava…
Banho tomado…

Não sou propriamente narcisista…

Mas era difícil estar nu em frente ao espelho e não vislumbrar a sua boca gulosa em mim…

Como um ser transparente que me deliciava com os seus chupões…

Imaginei a sua boca a mordiscar-me…

Estava na hora de me despachar!!!

Queria possuir aquela boca gulosa com urgência!!
Plim!!

“Já está? Não te esqueças da foto…

E aquele creme que costumas usar quando sais sem mim…

Gosto do sabor… 

E do cheiro….

Espalha bem…”
Nada de fotos!!

Já estava excitado quanto baste! Não ia estar a trocar fotos de nus!

“Onde estás!???” 

Plim!!

“Vai ao bar onde trabalha a minha amiga Joana.

Espera por mim…”
Que raio de ideia!!

Tinha desistido de lá ir com ela. Ficava sempre fula de ciúmes…

Digamos,

que o ambiente era bastante competitivo entre as mulheres…

Porquê me fazer ir ali?
Não posso dizer que me desagradou o lugar…

Muito menos a recepção da Joana…

O seu colo pareceu sorrir para mim…

Um sorriso enorme com aqueles seus lábios gulosos!!

E eis que me perco em delírios de memória!!!

Os meus olhos encontram os delas…

Memórias…

Apenas isso…

Fazem parte do que somos.

Passámos o nosso tempo!

“Porra!!”

Mas que me dá vontades … 

Como dá…

“Merd@ de ideia a dela!!”

Devo estar para aqui com

olhos de entesoado esfomeado!

“Demoras??!!!”

Plim!!

“Dá um beijo meu à Joana. Estou à tua espera na minha sala”

Não tenho memória do percurso até lá.

Aquele último beijo nas faces da Joana…

Quentes como as minhas…

“Sim!! Quero possuir alguém!!

Não é a Joana!!”

Pensei…

“E vou me vingar de quem me está a fazer penar!”

Que se lixe o elevador!!

As escadas pareceram fáceis de subir de dois em dois degraus!

“Abres a porta? Queres que toque?”

tic tac…

Responde pá!!!

Plim…

“Entra. Tira a camisola e senta na cadeira…”

Mmm…

Respirei fundo…

Voltar a me controlar!!

Interiorizei…
Saboreando os seus lábios nos meus… Entrei…

Conheço de cor a sala.

Engraçado como o estado de espirito e um ambiente bem acolhedor, pode mudar o sentir de um lugar.

A camisola perdeu-se pelo chão. Sentei-me e aguardei!

As mãos ávidas de sentir a sua pele…

Plim!!

“Coloca a venda que está aí ao lado”

Respondi por mim mesmo, bastava de telefones e merd@s sem calor!!

“Está bem!

Continuemos…

Não posso dizer que está a ser aborrecido…”

Disse, enquanto colocava a venda.
Senti mais do que ouvi o seu corpo a aproximar do meu.

Trazia o cheiro quente de desejo impregnado de um preparo de corpo a pensar em mim…

A sua respiração percorre-me…

Mmm… Desejei que me tocasse…

Precisava terminar a tortura e possui-la!!!
Os seus doces labios tocaram o meu pescoço…

Suavemente beijando o meu corpo…

Sentada na minha perna, o seu calor extravasava o tecido das calças…

Decidida, brincou com o meu peito…

Mordiscando suavemente enquanto as suas mãos percorriam o meu peito, acelerado com a excitação…

As calças ganharam vida…

O meu membro teso e livre de empecilhos chamou pelos seus lábios!!!
Retirei a venda!

Queria ver a sua boca suave e doce que me beijava as virilhas…

Fazendo quase um círculo que se ia fechando até me tomar dentro dela…

Gulosa de mim…

Os seus lábios como o seu sexo tomado de assalto…

Apertaram a volta do

meu desejo e desceram com pressão!!

Fazendo com que soltasse um “Oohhh!!” de satisfação !!!

Esta mulher sabia me enlouquecer!!

Era esta a mulher que queria em mim…

A sua língua brincou com o meu membro preso na sua boca…

Enquanto me olhava com aqueles olhos de vontade de me tomar dentro do seu corpo!!

Louca de necessidade de mim…

Gemeu…

“Vem…

Preciso de ti em mim …

Anda…”

Pegando nela, encostei o seu corpo nu no sofá…

Estava na altura certa!!

Os meus joelhos que se lixassem!!

Queria possuí-la!!

“Da-me a tua boca!!”

“Quero-te beijar!”

Excitados pela visão e sentir de mim a entrar no seu corpo, os nossos lábios pressionaram-se com a força da fome que sentíamos!!!

“És minha!!!”

“Sou…”

Gemeu…

©Read Mymind 2017 #69Letras

Bilhete Dourado

“Vai dar entrada na linha número um, o comboio Intercidades com destino a Porto-Campanhã”.

Desligou o microfone após anunciar o comboio. Mais um dos muitos que anunciava diariamente.

Limpou o suor da cabeça calva. O dia estava quente e a única aragem fresca era provocada pelos comboios sem paragem que passavam a toda a velocidade.

Costumava ficar a olhar para eles até desaparecerem na curva da linha férrea. Secretamente desejava que o levassem.

“Pára! Deixa-me embarcar! Deixa-me partir contigo e abandonar esta vida monótona!”

As campainhas já tocavam anunciando que o comboio se aproximava. Pegou na bandeira vermelha e dirigiu-se à plataforma.

As pessoas juntavam-se e esperavam ansiosamente pela chegada do comboio.

Ele perguntava-se que sítios iriam visitar, que aventuras iriam viver, que histórias iriam colecionar.

A sua vida estava estagnada. Um emprego que o deprimia, um salário parco, um velho apartamento perto da estação, um coração vazio.

Queria algo novo. Esta não era a vida que desejava. Desejar era tudo o que fazia mas sem réstia de esperança.

– Desculpe…

A voz feminina despertou-o da melancolia.

– Por favor, fique com isto. Percebi que a minha vida, afinal, começa aqui.

A mulher loira esticou-lhe um papel, sorriu e correu para junto de um homem que beijou apaixonadamente.

Ele olhou o papel na sua mão. Os seus olhos abriram-se surpresos.

Nas suas mãos tinha um bilhete com destino ao Porto no comboio que acabava de parar na estação.

Poderia esta ser a sua oportunidade?

Aquilo por que tanto ansiava estava na sua mão. Não tinha nada a perder.

O ar quente que emanava do comboio não o deixou sonhar mais alto. Tinha de entregar o bilhete na bilheteira.

Observou a plataforma. As últimas pessoas subiam para o comboio. O comboio das aventuras, dos sonhos, da esperança, da vida.

E ele ia ficar ali, a ver a sua vida passar sem chegar à próxima paragem.

Estava na hora de levantar a bandeira e deixar o comboio partir.

Apertou-a com força nas suas mãos. Largou-a, deixando-a cair.

Entrou no comboio, sentindo a porta fechar-se nas suas costas.

A vida era ele que a traçava.

No bolso apenas a carteira e o telemóvel.

Na mão o seu bilhete dourado.

No coração a excitação de um recomeço.

A viagem da sua vida estava prestes a começar.

© Fox 2017 #69Letras

15 Minutos

Qual a possibilidade de seres melhor do que a minha expectativa?
Não julgava possível até ao momento que te vi, te ouvi, que te olhei nos olhos e apreciei toda a tua beleza.
Desde o sorriso ao olhar, à inteligência das tuas palavras, ao tom da tua voz e pela forma como seguras o cigarro, tudo isso me leva a querer te ver novamente.
Foram 15 minutos mas acredita que pareceram 15 segundos, e nesse pequeno período de tempo fiquei feliz e contente por poder imaginar como serás nos próximos 15…
Até já…

© O Vizinho #69Letras 2017

Lábios nos teus

Lábios nos meus …
Com o teu calor, o teu querer, a tua vontade de me querer sentir!
A tua boca em mim, a sentir o calor e sabor, a inebriar-te de sensações e vontades para que te percas e me faças perder!
Os teus Lábios nos meus …
É o desbloqueio da entrega,
Das minhas vontades e desejos de ti , dos teus beijos, dos teus braços que me têm,do teu toque!
De agarrar as tuas vontades com as minhas!
De Te aconchegar com o corpo que te quer!
Uma mistura de loucura de quereres de pele com pele, do corpo, da mente e do desejo que não pára mais de nos controlar ou descontrolar!
De ser Tua, ao sentir-te Meu!

-Lábios nos meus, os Teus…
Pára, visualiza o momento….
sente-O …consegues parar?

  ©*MySighs* 2017 #69Letras

Tentações laborais

Aquele teu primeiro dia de trabalho, nunca vou esquecer.

 Entraste no Gabinete de Desenho confiante e determinado, o que te tornou ainda mais sexy á primeira vista. Tinhas a barba por fazer, lábios cheios, porte alto e olhos doces. Lindo de morrer!

Sempre que nos olhávamos havia desejo, desde o primeiro momento te desejei, e senti o mesmo vindo de ti. Ficávamos cada um na sua pois estávamos em ambiente de trabalho.

Seguiram-se dias, meses em que trocávamos mensagens e provocações constantes, olhares de tesão de tirar o fôlego. Até que um dia a rumo de uma obra me incendias. Estávamos sozinhos, o resto da equipa ainda não tinha chegado ao local da obra. O cheiro do cimento, das tintas e da luz penetrante pelas portadas envolve o ambiente em bruto! Nesse clima tão hostil e puro sinto o teu olhar a brilhar, desejar e cheio de vontade. Agarras-me pelo cabelo, beijando-me com uma urgência, como se desde o primeiro dia estivesses a contar os segundos para o fazer. Agarrei-te nos teus cabelos e com um puxão trouxe-te para mais perto de mim.

Não nos largamos.

A tua língua envolve a minha com tesão e ternura… ahhhh, doce tentação, que misto de sensações… Não perdes tempo, abres caminho pelo meu vestido, puxas a tanga para o lado e sentes a minha excitação… Suspiras de satisfação enquanto me olhas nos olhos. Com todo o querer tiras-me o vestido deixando-o no chão. Afastas-te e demoras-te a observar o meu corpo, e vejo pelo ter olhar predador que gostas do que vês. A lingerie preta e os meus cabelos longos e negros emolduram o meu corpo, e do nada fazes aquele sorriso torto e safado que eu tanto adoro, enquanto desapertas a tua camisa e me revelas esse corpo delicioso, ligeiramente musculado de pele morena… És uma tentação!

Num movimento único e repentino voltas a mim, começando por explorar o meu pescoço com essa língua… ahhhh essa língua!! Com a tua mão exploras o meu sexo querendo e desejando o meu prazer, e não me dás tréguas… Como eu gosto!! Arrancas o meu sutiã e abocanhas o meu seio, obrigando-me a soltar um gemido enquanto me mordes sem piedade… E quando te ajoelhas e começas a saborear o meu sexo fico quase a atingir o êxtase pois tu sabes bem o que fazes. Estou tão perto e ansiosa que te agarro pelo cabelo com força e ponho a minha perna no teu ombro, “Agora quem manda sou eu” rodo as minhas ancas em direção a tua boca até explodir num orgasmo bem alto.

Com esse sorriso safado de quem ganhou um premio dás-me a provar o meu orgasmo num beijo bem delicioso e molhado, cheio de desejo.

Recebe o que dás… Agora quem quer explorar sou eu. Esse corpo de Deus Grego é agora meu. Beijo cada recanto da tua pele até chegar ao ponto que quero descobrir e que está gritantemente inchado nas tuas calças. Tiro-o para fora…”Oh! Tão belo e apetecível” Percorro o teu membro com o meu nariz, soubesses tu como adoro o teu cheiro de macho pronto para me possuir, o cheiro a tesão no ar é inebriante. Sou gulosa, ficas a saber, e sem parar rodo a minha língua no teu membro, e quando sinto que estás quase lá paro… ”Não! Não vais gozar já, tenho bons planos para ti”.

Ahhh esse sorriso tira-me novamente dos eixos! Salto para o teu colo e tu apanhas-me surpreendido com a minha vontade, movimentando-me ao ponto de me penetrar com fúria encostando-me na parede. Sinto o cimento em bruto a arranhar-me as costas mas não me importo, é bom demais sentir-te dentro de mim depois de tanto tempo a desejar-te.

Enquanto investes em mim com estocadas fortes e certeiras, mordes-me os mamilos que já há muito que estão inchados e pontudos para ti.

Ouvimos barulho, é o resto da equipa de trabalho a chegar, “Damn! Que mau timing” dizes. “Lamento minha querida mas agora não paro, está bom demais, não queremos parar.” As tuas investidas ficaram mais fortes, deliciosas, a minha vagina contrai com o meu orgasmo e traz o teu comigo. Temos um belo orgasmo em simultâneo, e gememos no ouvido um do outro para abafar os barulhos.

Vestimo-nos á pressa ainda a saborear o prazer do orgasmo e quase somos apanhados. Para além da roupa vestimos também a nossa melhor cara de sem vergonha e voltamos ao trabalho.

A brincadeira acabou… mas não será com certeza a última….

Nefertiti

Abraço, o teu abraço

Abraço… O teu abraço…

O abraço onde respiro, onde largo o peso todo da minha alma… Abraço apertado que me leva as dores, que me encaixa como se tivesse esperado por mim a vida toda…

O abraço que me fala, que me diz as palavras que não te saiem da boca e que dá sentido às que me dizes e me fazem corar qual menina que já não sei ser…

Aperta-me, espreme de mim esta saudade, sente também no meu calor todas as palavras que te digo… Escuta no bater do meu coração junto a ti o bem que me fazes, como ele canta sonhos por estares perto…

Encosto a cabeça no teu peito, estou em casa, sinto o teu cheiro e sou toda eu sorrisos e um brilho no olhar…

Despeço-me no nosso abraço e levas um pouco mais de mim em ti, e trago-te em inspirações curtas, tentando prender-te em mim para sempre, tentando desfazer o nó que me fica na garganta…

Até ao próximo abraço…

© Vicky M 2017 #69letras