Arquivo de etiquetas: prazer

Momentos só nossos…

Gosto de pensar que alguns momentos serão sempre meus.
Chego a parar para me forçar a recordar…
Não os quero perder…
São meus e teus…
Talvez quem comigo os viveu já não os guarde…
Quem sabe alguns que eu não guarde, tenham dona e sejam guardados em outra memória que não a minha…
São belos momentos de vida que não quero que se percam nas memórias.
Não desejo perder a capacidade de me voltar a enamorar pelas borboletas que senti…
E por isso paro…
Paro e recordo…
Recordo a vibração que aqueles momentos a esvoaçar em mim me provocavam…
E sorrio…
Sorrio com a ternura que dentro sinto …
Dos beijos apaixonados que dei e recebi…
Dos lábios que me beijaram…
As mãos sedosas que me percorreram…
Aquelas que desejei…
Recordo gemidos de prazer…
Não aqueles de prazer carnal!!
Os pequenos…
O entrar…
O… “Estas em mim…”

©Read Mymind 2017 #69Letras

Apetece coisas loucas! Apeteces-me tu!

As vezes apetece coisas loucas…
Apetece que sejas minha!
Minha talvez não…
Gosto de animais a solta.
Em cativeiro perdem o brilho…
Apetecia…
Apenas isso…
Nua…
Sorridente e quente…
Apetecia sem muito que falar…
Para quê falar com o tanto que me apetece te fazer…???
Tudo tem de ser falado?
Explicado?
As palavras tiram o tempo dos gemidos…
Desgastam as vontades em vãs procuras…
Somos corpo e vontades…
Desejo e tes@o…
Não somos jovens loucos a procura de algo novo…
Sabemos o que queremos.
Passamos o tempo dos mistérios…
Porque não desfrutarmos um do outro?
Sem procurar segredos e penumbras…
Guardemos as sombras para esconder eventuais vergonhas.
Fiquemos pelos lençóis molhados dos nossos suores…
Esses não precisam explicação…
As mãos que a ti, toda procuram sentir…
Os meus lábios sequiosos dos teus…
Teus seios tesos de apetite do meu sugar…
São frases com começo, meio e fim!
Sem pausas e vírgulas!
Os meus dedos que te exploram o calor…
A tua mão que me sente a vontade…
Autênticas cartas escritas com o erotismo do saber de nós mesmos…
Que seja eu louco…
A loucura que me explique por palavras tuas onde me perdi em vontades de ti…

©Read Mymind 2017 #69Letras

Naquele dia…

Quando saí e senti a brisa marinha a fustigar-me no rosto, a minha alma ficou purificada. Nenhuma das culpas e angustias que carregava quando bati a porta do carro faziam agora sentido. A minha cara estava lavada, o meu coração estava limpo, rejuvenescido.

Continuar a lerNaquele dia…

Tiro-te do sério?!

Seja maldade …
inocente, mas seja! 
Provoco sim, com as minhas vontades, com o saber dos teus caprichos!
Não serão apenas caprichos, mas sim desejos teus , loucuras gulosas da carne e da pele, vontades que te inquietam as mãos, o olhar e até o pensamento!
Eu provoco sim, sabes que sim e o porquê!
Eu provoco e tu,mudo, refletes os pormenores…
Crias momentos lascivos, carregados de desejos teus com as minhas provocações…

“Tiras-me do sério!” … Dizes !
Tiro?!
Deixas-te provocar, deixas-te levar …
As tuas mãos, inquietas , respondem …
agarram-me pela cintura, arrancam-me a roupa.
Inquieto, muito inquieto … sinto-te em cada palavra, cada expressão do olhar, a mordida no lábio, o teu !
O fazeres-me deslizar pela mão até me colar ao teu corpo ,virada para ti, a mordida no lábio, desta vez no meu…
Sugas de rompante a minha boca e perco-me de vez nos teus beijos,
mergulhada em ti, nos teus braços, na tua pele que acaricia a minha, nos corpos que se colam, nas Almas que se entregam, na explosão mútua de sensações !
Seja maldade, seja a tua vontade ,seja a minha, seja….
Até dizem por aí ….. “o Amor é assim”…
E é, pelo menos parar mim !!

©*My Sighs* 2017 #69Letras 

Crônicas de vida de Pedro d’Almeida ( A surpresa)

Estava longe de imaginar o que uma simples sms poderia trazer aquele fim de dia.

O dia anterior não tinha acabado da melhor forma.

Encontros repetidos…

Conversas de circunstância…

Sexo um pouco monótono…

A relação parecia caminhar para o fim…

“Hoje para variar sou eu que mando!

Obedeces!???”

Não consegui conter um riso sarcástico…

“Está bem… Vamos tentar…

Vens cá ter?” Respondi.

Plim!!

Soou a sms…

“Não! Estás disposto a obedecer?”

A curiosidade é

uma arma terrível…

Veremos até onde a brincadeira vai…

“Ok..

Que queres que faça?”

Plim!!!

“Vai tomar um banho…

Quero que te depiles naqueles sítios onde desejas que te beije e acaricie…

Sei que tens assim normalmente…

Hoje quero tudo bem sensível…

Fresco…

Como um mapa para concentrar a minha atenção…

Estás disposto?”

Algo acordou em mim…

“Não preferes que te leve lá a boca?”

Plim!!

“Não!Obedece!”

Plim!!

“Quando acabares, quero que te olhes ao espelho e me mandes foto da tua tes@o! Quero ver se estás com vontade que te chupe!”

Fod@-se… Estás a pedir muito!!

Um pouco contrariado, entrei para o chuveiro.

Conforme a mistura das sensações da espuma com o passar da gillete e a sensibilidade da pele se faziam sentir…

A ideia começou a crescer em mim…

Tornou-se difícil resistir a acalmar-me logo ali…

“És fodid@!”

Pensei…

Enquanto apertava o membro rijo entre a mão!

Como que domando a vontade que me assaltava…
Banho tomado…

Não sou propriamente narcisista…

Mas era difícil estar nu em frente ao espelho e não vislumbrar a sua boca gulosa em mim…

Como um ser transparente que me deliciava com os seus chupões…

Imaginei a sua boca a mordiscar-me…

Estava na hora de me despachar!!!

Queria possuir aquela boca gulosa com urgência!!
Plim!!

“Já está? Não te esqueças da foto…

E aquele creme que costumas usar quando sais sem mim…

Gosto do sabor… 

E do cheiro….

Espalha bem…”
Nada de fotos!!

Já estava excitado quanto baste! Não ia estar a trocar fotos de nus!

“Onde estás!???” 

Plim!!

“Vai ao bar onde trabalha a minha amiga Joana.

Espera por mim…”
Que raio de ideia!!

Tinha desistido de lá ir com ela. Ficava sempre fula de ciúmes…

Digamos,

que o ambiente era bastante competitivo entre as mulheres…

Porquê me fazer ir ali?
Não posso dizer que me desagradou o lugar…

Muito menos a recepção da Joana…

O seu colo pareceu sorrir para mim…

Um sorriso enorme com aqueles seus lábios gulosos!!

E eis que me perco em delírios de memória!!!

Os meus olhos encontram os delas…

Memórias…

Apenas isso…

Fazem parte do que somos.

Passámos o nosso tempo!

“Porra!!”

Mas que me dá vontades … 

Como dá…

“Merd@ de ideia a dela!!”

Devo estar para aqui com

olhos de entesoado esfomeado!

“Demoras??!!!”

Plim!!

“Dá um beijo meu à Joana. Estou à tua espera na minha sala”

Não tenho memória do percurso até lá.

Aquele último beijo nas faces da Joana…

Quentes como as minhas…

“Sim!! Quero possuir alguém!!

Não é a Joana!!”

Pensei…

“E vou me vingar de quem me está a fazer penar!”

Que se lixe o elevador!!

As escadas pareceram fáceis de subir de dois em dois degraus!

“Abres a porta? Queres que toque?”

tic tac…

Responde pá!!!

Plim…

“Entra. Tira a camisola e senta na cadeira…”

Mmm…

Respirei fundo…

Voltar a me controlar!!

Interiorizei…
Saboreando os seus lábios nos meus… Entrei…

Conheço de cor a sala.

Engraçado como o estado de espirito e um ambiente bem acolhedor, pode mudar o sentir de um lugar.

A camisola perdeu-se pelo chão. Sentei-me e aguardei!

As mãos ávidas de sentir a sua pele…

Plim!!

“Coloca a venda que está aí ao lado”

Respondi por mim mesmo, bastava de telefones e merd@s sem calor!!

“Está bem!

Continuemos…

Não posso dizer que está a ser aborrecido…”

Disse, enquanto colocava a venda.
Senti mais do que ouvi o seu corpo a aproximar do meu.

Trazia o cheiro quente de desejo impregnado de um preparo de corpo a pensar em mim…

A sua respiração percorre-me…

Mmm… Desejei que me tocasse…

Precisava terminar a tortura e possui-la!!!
Os seus doces labios tocaram o meu pescoço…

Suavemente beijando o meu corpo…

Sentada na minha perna, o seu calor extravasava o tecido das calças…

Decidida, brincou com o meu peito…

Mordiscando suavemente enquanto as suas mãos percorriam o meu peito, acelerado com a excitação…

As calças ganharam vida…

O meu membro teso e livre de empecilhos chamou pelos seus lábios!!!
Retirei a venda!

Queria ver a sua boca suave e doce que me beijava as virilhas…

Fazendo quase um círculo que se ia fechando até me tomar dentro dela…

Gulosa de mim…

Os seus lábios como o seu sexo tomado de assalto…

Apertaram a volta do

meu desejo e desceram com pressão!!

Fazendo com que soltasse um “Oohhh!!” de satisfação !!!

Esta mulher sabia me enlouquecer!!

Era esta a mulher que queria em mim…

A sua língua brincou com o meu membro preso na sua boca…

Enquanto me olhava com aqueles olhos de vontade de me tomar dentro do seu corpo!!

Louca de necessidade de mim…

Gemeu…

“Vem…

Preciso de ti em mim …

Anda…”

Pegando nela, encostei o seu corpo nu no sofá…

Estava na altura certa!!

Os meus joelhos que se lixassem!!

Queria possuí-la!!

“Da-me a tua boca!!”

“Quero-te beijar!”

Excitados pela visão e sentir de mim a entrar no seu corpo, os nossos lábios pressionaram-se com a força da fome que sentíamos!!!

“És minha!!!”

“Sou…”

Gemeu…

©Read Mymind 2017 #69Letras

Hoje serei apenas o teu prazer

Podias vir beber um café…Não bebes à noite?

Não faz mal…

Podemos dispensar o café

Na verdade és tu que me apeteces!

Como??!

Nua!!

Deitada na cama!

Ou melhor… vem vestida…

Apetece-me despir-te com cuidado nos pormenores…

Ver a forma como as tuas ancas impedem as calças de facilmente saírem…

Observar os teus bicos hirtos de vontade de mim, por baixo da camisa…

Quero sentir como a pele do teu corpo vai reagindo aos meus carinhos…

Medir a temperatura com as minhas ásperas mãos…

Se consigo??

Tenho certeza!

Como tenho certeza que vais gemer para que te fod@…

E eu vou continuar apenas a estimular te de todas as formas que a minha mente esfomeada de ti se conseguir lembrar…

Vais sofrer para me teres dentro de ti…

Quero saborear os teus sabores de fome de mim…

Sugar o teu centro de prazer…

Ver como o teu corpo força os meus dedos mais fundo…

Brincar com o teu quente e húmido interior…

Vais gritar?

Pois que grites até a dormência do sentir…

Vem… 

Apetece-me ser o objecto do teu prazer… 

©Read Mymind 2017 #69Letras

Dia de chuva, no meu coração

Hoje acordei sem sentido, sem vontades nem ilusões, desprovido de sonhos, despido, perdido nesta cama longa e esquecida.
Ao meu lado, apenas o nosso leito de amor agora quieto, onde um dia te deitavas e me acordavas com esse olhar de menina.
O teu cheiro já cá não está, a tua pele macia há muito que me deixou sem reservas e se apagou das minhas lembranças.
Sabes, hoje chove lá fora.
Sei que gostavas dos dias em que a chuva nos fustiga as vidraças e nos convidava a um abraço apertado com sabor a café quente acabado de fazer.
Sabes que eu gosto, porque a chuva que cai em abundância lá fora aquece-nos a nossa alma cá dentro, mima-nos o ventre, massaja-nos o sentir, quando na cama juntos partilhamos o amor.
Gostava de a partilhar contigo, de chapinar nos teus abraços, de correr ensopado pelo teu corpo em busca de um abrigo secreto para me aconchegar.
Onde estás?
Porque estou eu a assistir a esta chuva sozinho?
Porque não está o teu corpo colado no meu neste dia de manhã cinzenta?
Tenho saudades dos teus sinais, e dos teus ais….
E do teu olhar profundo, tão profundo que chego a ver o cintilar do teu coração.
Onde estas….?
Sem ti, sinto-me perdido nesta vida que inventaram para mim neste dia de chuva no meu coração….
#PSassetti #69Letras 15.05.2017