Memórias de uma chávena de café

Me pego sentada na varanda do quarto as 6h da manhã com uma xícara de café entre as mãos. O tempo continua cinzento lá fora e alguns pingos de chuva insistem em cair vagarosamente… Sabe[…]

Proibido

Havia um sinal de sentido em frente aos meus olhos. E eu não hesitei. Avancei, sem pensar nas consequências. Se sabia que não devia? Sabia. Mas não queria saber. O desejo fervilhava nas minhas veias,[…]

Já não estou…

Estou aqui. Estou aqui contigo, mas quando abrires os olhos eu já não vou estar deitada ao teu lado. Cedi à tentação de ser tua, mas agora preciso ir… Preciso fugir do pecado que tu[…]

Adoro quando ele chega

Texto Erótico | M18 Adoro quando ele chega. Entra e logo me procura, prendendo-me nos seus braços, colando os seus lábios aos meus. As suas mãos deslizam pelas minhas costas e enquanto uma me ergue[…]

Na ponta dos dedos…

Trago o desejo na ponta dos dedos, de desvendar lugares e segredos, reinos inexplorados e perdidos, onde os desejos são concedidos, de desenhar toques ansiados, intensos e desmesurados, como se na tua pele viajasse, o[…]

Um orgasmo numa “one night stand”

Abres às portas ao teu pecado e convidas a entrar. Esse teu sorriso subtil, a roçar no desengano, hipnotiza.  Inebriante e sedutor, seria a melhor descrição para o teu convite de libertação dos sentidos.  Provocas[…]

Tarde de Inverno

Texto Erótico|M18 “- Hello Mrs. V… – Boa tarde Miss E… Como está? – Estava com saudades suas… – Hum… Também tinha saudades suas Miss E… Já á muito tempo que não falava consigo…” Ali[…]

A minha secretária

Texto Erótico|M18 Nesta solidão de Inverno safo-me com o bom tinto e a lareira como companhias imprescindíveis, mas nem sempre é suficiente. A vontade de partilhar uma garrafa de Quinta de Cabriz, Reserva 2011 e[…]

É Carnaval

É Carnaval. Tempo de encarnar a pele de outras personagens Hora de ser quem fantasiamos Momento de vestir o fato dos nossos desejos. É Carnaval. E eu… Eu quero que te fantasies de mim. Veste a minha[…]

Meu achado

Lembro-me de estar a falar contigo enquanto saboreavas o café que te sugeri e de não acreditar que estavas ali, eras real, e me fazias sorrir com a tua voz tanto quanto com as tuas[…]