Arquivo de etiquetas: peito

Continuo a desejar-te…

CONTEÚDO ERÓTICO | M18
Ai de mim….
todo o meu sangue bombeia desenfreado num frenesim frenético, desde a ponta dos meus dedos até ao alto pronunciado do meu sexo.
No meu peito, sinto palpitações galopantes, descontroladas, com vontades próprias, como que se um mustang sem rédeas pudesse saltar do meu peito a qualquer momento, sem qualquer aviso.
Todos os meus músculos fervem, estão atrofiados, gastos, cansados, a latejar.
Tudo em mim está em ebulição.
Tudo em mim está fora de controlo.
Espalhados pela cama, acumulam-se ainda vestígios de nós.
Podemos ver ainda o nossos sucos misturados. Podemos ver ainda as marcas do teu baton vermelho nas almofadas, que marcaste, quando fora de controlo, as mordeste na esperança de alguma contemplação da minha parte.
No meu sexo, estão ainda cravados os teus dentes, a tua língua, a tua vulva em chama, que descontrolada de tesão, abusou dele sem reservas nem clemencias.
Nos meus ouvidos, estão ainda presentes os teus ais, os teus gemidos, os teus gritos de prazer, os teus espasmos, a tua voz sensual a chamar o meu nome.
Na minha mente, está bem presente ainda esse teu rosto de menina feita mulher, com o meu suco a escorrer-te pelo rosto, em contraste com em esses olhos meigos que me fizeram desejar-te.
Quero dormir, preciso repousar um pouco, recuperar as minhas forças, preparar a tua chegada.
Demoras? …..
Continuo a desejar te…..
#PSassetti #69Letras 16.05.2017

Dia de chuva, no meu coração

Hoje acordei sem sentido, sem vontades nem ilusões, desprovido de sonhos, despido, perdido nesta cama longa e esquecida.
Ao meu lado, apenas o nosso leito de amor agora quieto, onde um dia te deitavas e me acordavas com esse olhar de menina.
O teu cheiro já cá não está, a tua pele macia há muito que me deixou sem reservas e se apagou das minhas lembranças.
Sabes, hoje chove lá fora.
Sei que gostavas dos dias em que a chuva nos fustiga as vidraças e nos convidava a um abraço apertado com sabor a café quente acabado de fazer.
Sabes que eu gosto, porque a chuva que cai em abundância lá fora aquece-nos a nossa alma cá dentro, mima-nos o ventre, massaja-nos o sentir, quando na cama juntos partilhamos o amor.
Gostava de a partilhar contigo, de chapinar nos teus abraços, de correr ensopado pelo teu corpo em busca de um abrigo secreto para me aconchegar.
Onde estás?
Porque estou eu a assistir a esta chuva sozinho?
Porque não está o teu corpo colado no meu neste dia de manhã cinzenta?
Tenho saudades dos teus sinais, e dos teus ais….
E do teu olhar profundo, tão profundo que chego a ver o cintilar do teu coração.
Onde estas….?
Sem ti, sinto-me perdido nesta vida que inventaram para mim neste dia de chuva no meu coração….
#PSassetti #69Letras 15.05.2017

15 Minutos

Qual a possibilidade de seres melhor do que a minha expectativa?
Não julgava possível até ao momento que te vi, te ouvi, que te olhei nos olhos e apreciei toda a tua beleza.
Desde o sorriso ao olhar, à inteligência das tuas palavras, ao tom da tua voz e pela forma como seguras o cigarro, tudo isso me leva a querer te ver novamente.
Foram 15 minutos mas acredita que pareceram 15 segundos, e nesse pequeno período de tempo fiquei feliz e contente por poder imaginar como serás nos próximos 15…
Até já…

© O Vizinho #69Letras 2017

De férias mas perto do teu corpo

Texto Erótico|M18

Estamos de férias, finalmente.
Escolhemos Varadero. Clima quente, as melhores praias, ideal para relaxar depois de um ano inteiro de trabalho.
Estamos casados à 2 anos, dois Touros, dois teimosos mas muito apaixonados. Desde o primeiro momento que nos conhecemos que nunca mais desgrudamos, não saberia viver sem ti.
Chegamos ao hotel, pousamos as malas e fomos a correr como dois adolescentes para a praia… é fantástica, e como era de esperar, areia branca, mar azul turquesa, música cubana invade o ar, cheira a verão e estou neste paraíso com o meu amor.
Tu corres para o mar, deitas a t-shirt para o chão e entras a mergulhar. Eu sento-me numa das espreguiçadeiras a observar-te ainda a captar tudo o que me rodeia.
Estou feliz… sou uma mulher de sorte, e tu estás lindo nessa tua pele morena, corpo magro ligeiramente musculado, estou a adorar a vista!
Apercebes-te que te olho com safadeza e desafias-me a entrar na água.
Vou ao teu encontro, a água está quente como era de esperar… Tu estendes a mão para mim e olhas-me nos olhos, esses olhos pequenos cheios de ternura, que ficam ainda mais verdes quando estás moreno.
Puxas-me para ti e beijas-me com intensidade… ahhh! Esses lábios carnudos como adoro.
Envolves-me num beijo demorado sugando-me os lábios…  Fiquei acesa só com o beijo e apercebo-me da erecção visível nos teus calções. Esse pau já chama por mim. Agarro-o dentro dos teus calções e ponho o para fora, adoro vê-lo, é enorme, viril. Começo a masturbar-te, estamos com a água pela cintura, tem pouca gente na praia estamos em Setembro e já não tem tantos turistas.
Tu puxas a parte de cima do bikini para baixo, queres os meus seios, estão arrepiados para ti, pegas-me no ar e pões-me no teu colo, com as minhas pernas abraço a tua cintura, chupas os meus seios um de cada vez e mordes, tu sabes o que eu gosto, sabes como me fazer gemer.
Beijas-me sem parar.
De repente apercebemo-nos de alguma agitação à nossa volta e gritos vindos da praia… olhamos para ver o que se passava, vinha aí tempestade, ficou o céu negro de repente, chuva e vento vinham na nossa direção, as pessoas fugiam do temporal com receio… Tolas…
Eu quero aproveitar tudo, até este temporal, duas tempestades no meio da água… fiquei ainda mais exitada pela situação toda… não podemos parar, e sem demoras puxas a minha cueca do bikini para o lado e entras em mim… começas as tuas investidas fortes, ahhh! como adoro senti-las! Agarras o meu rabo e ficam ainda mais fortes enquanto mordes o meu seio…
Eu cravo as unhas nas tuas costas e gozamos em uníssono, foi sempre uma das nossas características e é maravilhoso sentir o teu pau a jorrar dentro de mim enquanto a minha vagina se contrai em torno dele ordenhando tudo para mim.

Ficamos assim parados a olhar nos olhos, “dizemos tantas coisas assim, não é? ”
No meio daquela tormenta o que acaba de acontecer foi fenomenal, ficando uma sensação de plenitude dentro de nós… Sempre foi uma das minhas fantasias e talvez por isso tenha sido tão bom.
Voltamos para o quarto sem pressas de mãos dadas no meio daquela chuva toda.
Entramos, tu abraças-me e dizes-me “Amo-te mais que tudo nesta vida… ”
Adoro quando me olhas assim.
“És tudo para mim, meu mundo, Amo-te”

Nefertiti 

Bom dia…

TEXTO ERÓTICO |  M18
Quando acordei, todo eu estava hirto, duro, enrijecido.
Os teus lábios há muito que estavam empenhados em proporcionar-me um acordar de luxuria, de loucura, de prazer.
As tuas mãos percorriam as minhas pernas, a minha barriga, enquanto que a tua boca empenhada tomava conta do meu sexo, escondendo-o por completo.
A tua vontade era proporcional aos meus gemidos, cada vez mais cadenciados e abundantes. 
O meu membro, dava agora sinais de querer explodir, enquanto que tu, com os lábios bem cerrados, fazias questão de não o permitir, levando-me à loucura.
Os teus mamilos estavam durissimos. A tua vulva dilatada escorria de tesão. Os meus dedos tomavam agora conta dela, numa penetração incessante que te fazia contorcer o corpo cada vez mais.
Estavas gulosa. A tua boca estava numa dança de prazer que quase me fazia jorrar a cada uma das tuas investidas. As tuas mãos delicadas apertavam agora os meus testículos, fazendo-me gemer ainda mais alto.
A minha língua há muito que desejava por ti. 
Fizeste-me a vontade. Sentaste-te na minha boca, esfregaste a tua vulva na minha cara, exigiste de mim, agradeci. 
Deixei que a minha língua fosse livre, que se deliciasse nessa tua vulva em chama, deixei que te penetrasse, que te massajasse o clitóris.
Tu estavas ainda mais empenhada, eu doido de tesão, retribuía como podia, entre os meus gemidos e os teus. 
A nossa cama estava em chama, o nosso tesão há muito que havia tomado conta dela. A minha boca estava encharcada com o teu suco, a minha língua insaciável, a tua boca dormente de tanto empenho.
Sabíamos que não aguentaríamos muito mais, há muito que o meu sexo queria explodir, assim como há muito que a tua vulva se preparava para jorrar todo o teu tesão na minha boca desejosa.
Não paramos, fomos empenhados, sem reservas, sem limites, até que por fim ambos jorramos livremente nas nossas bocas para nosso deleite.
Exaustos, fatigados, contigo deitada no meu colo, com a boca ainda por limpar, dizes-me:
– Bom dia, meu amor….
Ao qual respondo:
– Bom dia minha flor….
Adormecemos, novamente.
#PSassetti #69Letras 08.05.2017

Ordeno que domines

M/18 texto erótico 

 

Hoje quero algo diferente. Sentir na pele o peso de um toque mais duro. Entregar meu corpo à satisfação alheia para variar. Sem me preocupar. Sem pensar. 

Sómente sentir. Espicaçar sentidos! 

Lembrei-me da vítima do dia anterior. O ódio e a revolta bem presente nos seus sentidos irá fazer jeito. 

-Boa tarde. 

-Boa tarde! O que faz a senhora à porta da minha humilde casa? 

-Prepara-te. Daqui a uma hora quero-te na minha casa. 

-Hummmm. Vais me torturar outra vez, é? 

-Não. 

-Ótimo! Vamos fod3r como as pessoas normais e vais-me deixar vir desta vez? 

-Se souberes, vens-te sim, depois de me dominares. Duvido que estejas à altura. 

-Quê? À bruta?! 

-Isso já seria esperar demasiado de alguém tão fraco como tu. Enfim, vamos ver. 

-Vou-te pôr a pedir clemência! 

-Assim o espero. 

Viro costas, já aticei o suficiente a besta. Agora é esperar que vire monstro. 

Pontualmente toca à minha porta. Apresento-me de cabelo apanhado, olhar cabisbaixo, vestido vermelho e descalça. Submissa perfeita. 

-Abres a porta sem o meu copo de whisky na mão?! 

Hummm. 

-Perdão senhor. Com ou sem gelo? 

-A avaliar pelo seu rabo, com. Preciso de acalmar-me para não a fod3r já. 

Ele senta-se no sofá a beber o whisky enquanto me observa. Quase que sinto a força com que me deseja em cada golo de whisky. 

-Quero que te ponhas de joelhos a despir-me as calças. 

Obedeço sem pensar mas não deixo de me sentir excitada quando me deparo com o sexo dele despido por baixo das calças. Já está duro e ansioso pela minha boca. 

-Não te esqueças que sou eu quem mando. 

-Sim senhor. 

Debruça-se até minha boca e beija-me. E todo o meu corpo entra em alerta. Fod@-se, baunilha?! Porém, obedeço.

-Agora chupa-o. 

Mas que imprevisível. Adoro. Autorizo-me a pegar-lhe e abocanhar com toda a devoção duma submissa. Engulo-o cada vez mais fundo até me engasgar. Saboreio cada centímetro para lhe dar prazer. Ele acaba de beber o seu whisky entre gemidos. 

-Isso! Que boca gulosa! 

Com uma mão segura-me no rabo de cavalo e com a outra esfrega um cubo de gelo nas minhas costas. Mais uma vez, inesperado. Bom. Criei um monstro. Fantástico. 

-Vou-me vir! Ahhhhhh! 

E satisfaz-se para a minha cara, peito e barriga. E eu? Encharcada de tesão. Mordo os lábios de tanta excitação mas espero que seja o meu senhor, monstro do meu prazer que me explore. 

-Estás suja minha senhora. Despe-te mas devagar. Dança para mim. 

-Sim senhor. 

Lentamente vou me despindo enquanto me limpo à roupa. Vejo o olhar dele mais suave. 

Nua e à sua mercê. Ele levanta-se para mais uma vez me beijar. Abraça-me com força. Nossos corpos nus se roçam num bailar de loucura. Seus dedos finalmente se fincam na minha carne. Ele deseja-me tanto que me marca com pequenas nódoas negras os braços e nádegas. Como uma boa submissa saboreio cada toque, cada palmada e cada puxar de cabelos.

Vira-me de costas, põe-me de quatro e sem aviso prévio penetra-me com força.

Sexo duro e selvagem. Era isto o que meu espírito tanto pedia e o meu corpo tanto implorava.

Limitava-me a sentir toda a sua força. Sentia-o dentro de mim como se lá pertencesse. Não conseguia evitar os gritos de prazer saírem da minha boca.

Entre espasmos de prazer venho-me. E ele continua a fod3r-me com toda a violência do seu corpo. Sinto meu corpo a sucumbir. Meu sexo a latejar de tanta tensão. Quase a pedir para que pare até que o oiço a explodir num orgasmo de som alto. Loucura total. Extasiados. 

-Ahhhhhh! Dás cabo de mim miúda. 

Agora somente sinto o peso do seu corpo cansado e a satisfação plena do meu. 

E ele aninha-se a mim. Como se isso fosse acontecer! 

-Levanta-te e sai! 

-Saio?! 

-Sim. Já tiveste a tua oportunidade. Já não és necessário. Sai. 

-Ao menos podes dizer se estive à altura? 

Não. Não lhe direi a verdade, claro. Eu sou a senhora Lilith. 

-Tu és fantástico. Como meu escravo sexual. Agora sai!

 

© Lilith 69letras 2017 

 

 

Amores Impossíveis

Olá meu Amor! Acreditas que não me sais da cabeça? Não houve minuto neste dia que não pensasse no teu sorriso e meus lábios não tivessem sorrido, nos teu olhar e meus olhos não tivessem brilhado, no teu cabelo e meu dedo não o sentisse a arrumá-lo por detrás da tua orelha, na tua face e um rubor de felicidade não me tivesse invadido, no teu corpo e meus braços desejarem apenas abraça-lo. Foi o dia todo nisto e ainda agora a escrever-te minha mente apenas imagina o teu toque suave e carinhoso, o teu cheiro de rosas frescas e o sabor do teu beijo doce e quente.

Sabes, fico a contar os dias para te ver, te olhar no olhos e dizer-te que te Amo com toda a franqueza.

Consegues imaginar o nosso reencontro? Eu consigo, e sorrio sempre que o faço. Não interessa se é junto à praia, ou mesmo naquela esplanada na Ribeira do Porto que ambos adoramos, só sei que anseio pelo nosso reencontro.

Não, dizias-me tu. Não o podemos mais fazer. Não queres contrariar a tua consciência e muito menos trair os teus princípios… Não posso deixar de pensar que estarás a deixar alguém que amas fora de algo só nosso e isso também me retrai muitas vezes, levando-me a pensar se são corretos os nossos olhares, desejos e vontades de estar juntos.

Porquê, dizes tu! Porque é que nos tivemos que apaixonar? Ambos sabemos que é incorreto mas desejamos tanto, ao ponto de arriscarmos a nossa sanidade mental, de sermos traídos apenas por paixão, desejo e tesão. Valemos a pena, digo-te eu. Temos uma sintonia e uma cumplicidade dificilmente alcançável pelos comuns humanos, nós que somos apenas carne e osso e desejamos apenas a nossa Felicidade.

Amor Impossível, descreveste-nos tu, quando impossível será não te amar, ter-te tão perto e não te tocar… Acreditas que não me sais da cabeça?

© O Vizinho 2017 #69letras