Arquivo de etiquetas: Miss Steel

Dás-me um bocadinho da tua cor?

Sabem daquelas manhãs em que o sol nos beija a face, os passarinhos lá fora despertam-nos os sentidos com o seu palrar? Dessas mesmo!

Não tem nada a ver com a minha manhã de hoje. Até me pareceu ouvir o despertador ” levanta-te preguiçosa, que estás à espera?”.

Levantei-me a custo com os meus dois pés esquerdos e fui para o meu trono refletir sobre a vida. Sim esse trono. A sanita!

Steel falta-te cor na vida pah! Tua vida cinzenta e sem luz já teve dias melhores. Rodeia-te de pessoas que te iluminem a alma, para que tenhas brilho novamente! Isso! E vai ser hoje! Não! Agora! Mas primeiro limpar-me, lavar os dentes e vestir-me.

Abro a porta do meu apartamento no mais belo condomínio de todos. Já sei por onde começar.

-Krishna! Oh Krishna!

-Steel a porra da  campainha funciona! Pára de gritar mulher! Bora tomar o pequeno almoço comigo, vá!

Krishna é laranja! Uma mix de loucura e lealdade sem fim!

-Já vou! Primeiro vou acordar a Oyster!

-Trá-la contigo.

The Oyster, amarelo sereno. Transmite paz e tranquilidade.

-Steel, não empurres. Calma, acabei agora a minha sessão de Yoga. Vai buscar o Vizinho.

-Despacha-te, Oster! Antes que as torradas se arrefeçam.

O Vizinho é azul turquesa. Um muro de segurança e coerência.

-Miúda achas que a Krishna tem café que chegue para todos?

-Não te preocupes. A vizinha abasteceu-nos ontem.

A Vizinha, preto de liderança e inovação!

-Vizinha?! Tens a porta aberta de casa… Ups Anónimo! Começam logo de manhã vocês?

Anónimo, verde tropa de camaradagem.

-Mas que gritaria é esta logo pela manhã?

-Nada demais Lola! Pequeno almoço hoje é na Krishna.

Lola, vermelho fogo da sensualidade e paixão.

-Read Mymind, estás em casa?

-Para ti sempre! Anda, tenho vontades…

-Não! Credo! Rapaz atina-te e veste uns boxers ao menos! O pequeno almoço é na Krishna. Veste-te!

Read Mymind, cinza claro de malícia e desejo.

-Steel! Que bom ver-te logo pela manhã!

-Oh és uma querida Misses Kat!

Misses Kat, violeta. Representa um misto de erotismo com inocência.

-Toc Toc! 100Modos? Estás em casa? Hello?….. Tenho oreos….

-Chamaste?

100Modos, castanho chocolate quente.

-Steel! Posso ir? Posso? Por favor?

-Minha Fox pequenina, claro que sim! Tenho um lugar ao meu lado só para ti.

Fox, verde alface de tanta frescura e espontaneidade!

São mais… Neste condomínio são muitas as cores que nos pincelam as vidas diariamente. Sem querer fazemos uma casa com imensas janelas para o mundo.

Cada um único e necessário para o todo. Somos cores! As vossas cores! Somos 69Letras de cor!

 

© Miss Steel #69Letras 2017 

 


Desatinas-me o corpinho todo, homem!

Mas que carrossel me saíste homem! Ora pega, não pega! Ora chove, ora faz sol! CREDO! 

Pões-me o corpo a pedir esmola à porta do diabo! 

Contigo a minha alma não tem descanso! Adrenalina sempre a mil à hora, numa descida e sem travões. 

Tanto me atiças as vontades, como despejas um balde de água gelada no meu corpinho em brasa! 

OH homem tu decide-te! Que eu já não aguento os arranhões e chupões que a tua rebeldia me marca! 

Já me fui embora e voltei um milhão de vezes, bolas, que és cá um vício! 

Ai a minha mente é cá um reboliço… 

Tanto me enervas como te esfregas! 

Ora cospes,  ora comes! 

Ai homem dás cabo de mim… 

©Miss Steel #69Letras 2017 

Ser humano/insatisfeito

Nunca estamos satisfeitos! Parece que estamos sempre esfomeados ou nunca estamos contentes.

Se está calor, queremos frio. Se está frio queremos calor.

Queremos a camisola de cor clara quando nos oferecem a escura, as calças de cor escura nunca vão ter a tonalidade clara que desejamos.

Hoje dizemos que estamos gordos, amanhã o nosso rabo é demasiado achatado e sem volume.

Luta-se para ter aquele item de ultima geração para passado pouco tempo passar de moda e continuarmos à luta pelo modelo seguinte.

O ser humano é o ser mais insatisfeito que existe!Porquê? Não sei mas calculo que seja um estado crónico.

Tal e qual como as “falhas de fabrico”. Porque além de nunca estarmos satisfeitos com o que temos, também temos a tendência a falhar naquilo para o qual fomos feitos para não falhar.

Falhar com as pessoas, errar nos sentimentos que demonstramos. Coisinhas confusas que somos. Seres defeituosos por vezes até, atrevo-me a dizer.

Por exemplo:

Os casais que têm um filho para lhe dar amor e carinho mas que nunca lhe proporcionam tempo de qualidade.  Porque precisam de trabalhar para sustentar a mesma criança que amam tanto…

Quando a vida é tão simples, temos o poder mágico de a complicar. Pena que não seja para beneficio de ninguém…

I have a dream

Quem o disse foi Martin Luther king mas eu também tenho os meus sonhos. E se me atrevo a sonhar alto, não tenho de pedir licença a ninguém porque ainda somos livres, ou não?

O meu sonho é deixar de sentir o “eu quero” na pele e cumprir o ” eu dou” mais. Libertar-me do “não posso” e viver plenamente no “juntos podemos”.

Porque depois de ver tantos sonhos afogados no egoísmo alheio, quero despir-me dos clichés da vida nómada da sociedade.

Quero viver ao máximo TUDO o que a VIDA nos oferece! E é tanto! Basta abrir os olhos! Abrir os braços e deixar-nos envolver pelas coisas simples da vida.

 

© Miss Steel 69Letras 2017

” É a vida…”Não, é ser-se esmagada pela vida.

“Deus escreve direito em linhas tortas.”

Ou seja, caso estejas a ter um dia de merd@, não te preocupes porque vai-te acontecer algo tão extraordinário que irá apagar tudo o que aconteceu de mal. 

Certo? ERRADO! 

Acordo às 6 30 da manhã bem disposta e motivada para ir correr. Decidida a perder aqueles… Muitos quilos a mais! Ganho coragem, destapo-me da roupa quentinha e aconchegante e sento-me na beira da cama. Sinto as dores menstruais a arrastarem-me para a cama. Mas a corrida aguarda-me e eu penso para mim própria ; “Steel, é a vida…” 

Abro a porta do prédio motivada e de rabo de cavalo no cabelo esticadinho e deparo-me com um dia de chuva daqueles que me faz enrolar os caracóis defeituosos. “Steel, é a vida…” 

De volta a casa, um banho vem sempre a calhar depois de tanto suor e deparo-me com a botija de gás vazia. De bicos dos peitos rijos penso para mim própria, uma vez mais ; ” É a vida…” 

Já no trabalho, depois de passar uma manhã inteira a sonhar com as migas do restaurante preferido, informam-te que esse mesmo restaurante fechou. Oiço os colegas a consolarem-me , ” É a vida…” 

Tento ligar a um bom amigo à procura de algum conforto e a única coisa que oiço do outro lado da linha é ” Steel deixa-te de merd@s, é a vida…”

 A caminho de casa, parada no trânsito e dá-te aquela vontade súbita de ir fazer xixi. “É a vida…”

Paro o carro de frente à garagem e o comando do portão automático não tem pilhas. Um vizinho olha para mim e diz:

-Boa tarde Miss Steel, tem de abrir o portão da garagem manualmente. É a vida…

Lanço um sorriso esforçado enquanto saio do carro e tento abrir o portão que muito gentilmente, claro, volta a descair acertando em cheio em mim.

E a vizinhança grita ” É a vida, Steel…”

Se é a vida, tirem-na de cima de mim porque esmaga-me!

 

©Miss Steel 69Letras 2017

 

Sou estranha

Tenho perfeita consciência da minha estranheza. Mas o facto de eu ser estranha não é para qualquer um apreciar mas sim respeitar. Porque é a minha maneira de ser. Meu carácter pessoal, único e exclusivo. Como o de qualquer outra pessoa.

Sou estranha aos olhos dos outros. Mas já convivo comigo própria há tanto tempo que já nem ligo… 

Tenho umas manias meio esquisitas. Sim, não acreditam? Então passo a explicar. Tenho a mania de dar os bons dias a toda a gente. Seja a estranhos na rua, como aos meus contactos nas redes sociais. Mesmo àqueles que não passam de contactos com uma foto de perfil. Sei, estranho não é? 

Outra estranheza minha é o facto de me preocupar com as pessoas e perguntar-lhes se estão bem. Realmente um disparate, já sei, mas inevitável para mim. Sabem aqueles colegas de trabalho com que raramente se cruzam? Pois até esses pergunto se estão bem! Uma coisa que incomoda bastante, de facto, aquele “olá, tá tudo bem ctg?” mas que para mim sai tão naturalmente. 

Outra capacidade minha é dizer a verdade na cara, conseguindo dentro da maneira possível mantendo o respeito, e resolver conflitos cara a cara. Horrível! Só isto, avaliando pela reacção de certas pessoas, justificava uma cruz vermelha na porta e um letreiro a dizer “Persona non grata”! Para quê que eu tenho de dizer às pessoas o que penso de negativo quando posso muito bem estar calada, sorrir e dar graxa. Assim caía nas boas graças dos chefes, superiores, vizinhos e afins. Mas não.

E admitir os meus erros ou simplesmente admitir que não concordo. Defender o que acredito ou simplesmente defender-me. Mas que parvoíce! Nem sei onde ando com a cabeça às vezes! 

Quem me manda ser verdadeira e genuína. Reles ou cabra. Já deveria saber que isso são tudo qualidades que se aprecia só da boca para fora porque na realidade, confrontarmo-nos com esse tipo de pessoas é desconfortável.

O melhor mesmo é afastarem-se de mim. Virarem a cara, comentar com o vizinho que sou louca e nunca mas nunca tentarem-me perceber. Ui! Deus vos livre! Podem apanhar uma doença qualquer… 

 

©Miss Steel 69Letras 2017 

O queimar das tuas palavras

Tua verdade insinuante devasta qualquer réstia de bom senso em mim. Dilacerante como um objeto cortante , rasgando deliciosamente cada rasto de decência em mim.

Como um gato subtilmente trepando pelo meu corpo acima. Lambendo cada gota do meu ser.

Teu suspiro vibrando ao meu ouvido, convida-me ao prazer de um orgasmo perdido. Faz-me perder o sentido da realidade. Abstraio-me do resto do mundo.

Arrrgghhhhh! Cega-me esta fome de ti! Este pulsar do meu corpo nu dançando nas tuas vontades.

Não há certo ou errado. Só tu dentro de mim, levando meu corpo ao limite satisfazendo tuas taras no prazer da tortura.

Nessas tuas palavras perco-me para me encontrar envolvida em ti. Onde os amantes não perdem as forças e os corpos não se rendem.

Provocas a minha libido como um animal raivoso que viola cada sentido em mim. Irracional, tortuoso e no entanto cada palavra é pensada e refletida com o único propósito de me levar ao ponto de nirvana. 

Sufocante e ardente, esse teu poder em mim. O diabo que adora a sua própria presa, assim és tu para mim. 

 

© Miss Steel  69Letras 2017

Falas amor?

Quem disse que amar é fácil e natural ao ser humano, bom das duas uma ou eu nasci com defeito esse tipo nunca amou na vida!

É difícil! Trabalhoso! Não, não falo daquela fase inicial onde tudo são rosas e concorda-se com tudo. Não.

Eu falo daquele amor de vários anos. Várias batalhas travadas em conjunto. Obstáculos ultrapassados. Aquele amor encafuado no meio das vidas onde não se tem tempo para respirar e onde não se considera prioridade sair de casa sem dar um beijo.

Nessas vidas atribuladas onde um ato de amor passa por um ritual necessário e não de livre e espontânea vontade.

E o que é feito dos amo-tes a toda a hora? Os beijos roubados de outrora?

As mensagens escritas a batom no espelho da casa de banho? As pétalas de rosa espalhadas na cama?

Eu digo-vos o que lhes aconteceu !!!

Foram substituídos pelas máquinas de lavar roupa, bimbys e afins!!!!

Desculpem-me a franqueza mas desde quando isso é uma prenda de amor? É suposto essas merd@s serem língua gestual para amor? ” Eu amo-te tanto que te passo a ferro nesta magnifica tábua de passar” ???

Não! Isto não é amorês! A língua de amor tem de ser aquilo que era no inicio e para isso requer esforço. União. Cada frase começa com NÓS e não eu. Cada gesto é singular e implica entrega humana e não de itens.

Requer pararmos no meio da azáfama do dia a dia e olharmos para a pessoa ao nosso lado. Olhá-la com olhos de ver. E dizer-lhe que a amamos. Sem forçar porque nos vem de dentro.

Beijar com um olhar cúmplice no meio do trânsito. Mesmo a correr para o comboio, gritar um amo-te bem alto! Os sorrisos partilhados. Um dar mãos no supermercado.

Só vos tenho uma pergunta a fazer. E vocês?

Falam amor?

©Miss Steel 69Letras 2017